PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Cotações

Dólar cai quase 1% e fecha a R$ 5,036, valor mais baixo em mais de um ano

Mulher conta notas de dólar em Buenos Aires - Marcos Brindicci
Mulher conta notas de dólar em Buenos Aires Imagem: Marcos Brindicci

Do UOL, em São Paulo

04/06/2021 17h24

O dólar comercial fechou o dia hoje em queda. A moeda recuou 0,95% e ficou em R$ 5,036. O valor é o mais baixo desde o dia 25 de março de 2020, quando a cotação foi R$5,033.

A variação semanal foi de -3,39%, enquanto a variação mensal da moeda norte-americana ficou em -3,62%

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

O dólar vinha em alta até 9h29 (de Brasília) e sofreu uma queda abrupta às 9h30, quando os Estados Unidos reportaram criação de empregos em maio aquém do esperado, o que fez virar também o dólar no exterior.

Dólar cai quase 1% e fecha a R$ 5,036, valor mais baixo em mais de um ano

O dólar comercial fechou o dia hoje em queda. A moeda recuou 0,95% e ficou em R$ 5,036. O valor é o mais baixo desde o dia 25 de março de 2020, quando a cotação foi R$5,033.

A variação semanal foi de -3,39%, enquanto a variação mensal da moeda norte-americana ficou em -3,62%

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

O dólar vinha em alta até 9h29 (de Brasília) e sofreu uma queda abrupta às 9h30, quando os Estados Unidos reportaram criação de empregos em maio aquém do esperado, o que fez virar também o dólar no exterior.

Bolsa de valores

O Ibovespa, por sua vez, terminou o dia em alta, batendo 130.125,78 pontos. O crescimento foi de 0,4%.

Na bolsa brasileira o destaque positivo ficou com CVC Brasil (CVCB3), que teve a maior alta do dia, subindo 7,41%. Do lado negativo, Gerdau (GAU4) foi o ativo que mais caiu, baixando 3,20%.

Como o dólar, a Bolsa também foi influenciada pelos dados de emprego dos Estados Unidos. "O número apresenta viés negativo para as expectativas mais fortes em relação à recuperação americana", afirmou Felipe Sichel, estrategista-chefe do modalmais.

(Com Reuters)

Cotações