PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Cotações

Dólar abre semana em alta, a R$ 5,527, após 4 quedas seguidas; Bolsa cai

Mesmo com o desempenho de hoje, o dólar acumula perdas de 0,88% nos primeiros dias de 2022 - Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo
Mesmo com o desempenho de hoje, o dólar acumula perdas de 0,88% nos primeiros dias de 2022 Imagem: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

17/01/2022 17h21Atualizada em 17/01/2022 18h17

O dólar fechou a segunda-feira (17) em alta de 0,24%, vendido a R$ 5,527, interrompendo uma sequência de quatro quedas consecutivas. Na semana passada, a moeda americana havia acumulado perdas de 2,1% frente ao real — a maior baixa semanal em mais de dois meses, desde o início de novembro de 2021 (-2,19%).

Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), encerrou o dia em queda de 0,52%, chegando aos 106.373,87 pontos, depois de acumular ganhos de 4,1% na semana anterior.

Mesmo com o desempenho de hoje, o dólar mantém a queda em relação a dezembro, somando perdas de 0,88% nos primeiros dias de 2022. Já o Ibovespa acumula alta de 1,48%, depois de despencar quase 12% em 2021.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

China e EUA

Dados divulgados hoje mostraram que a economia da China cresceu 8,1% no ano passado, na maior alta em uma década, desde 2011. Os números ficaram bem acima da meta do governo, de "mais de 6%", e da expansão revisada de 2020 (2,2%), o que deixou investidores otimistas.

O mercado também seguiu monitorando as perspectivas para aumentos de juros pelo Fed (Federal Reserve, o Banco Central dos Estados Unidos). Na semana passada, dados de inflação alinhados às projeções esfriaram as apostas mais agressivas para a política monetária, com a maior parte dos especialistas prevendo agora de três a quatro altas nos custos dos empréstimos em 2022.

Juros mais altos nos EUA aumentam a rentabilidade dos títulos americanos, considerados investimentos muito seguros. Na prática, esse cenário tende a reduzir a atratividade de ativos mais arriscados, como o real e outras moedas de países emergentes, o que leva a uma valorização global do dólar.

Prévia do PIB no Brasil

No Brasil, o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) — uma "prévia" do PIB (Produto Interno Bruto) — fechou novembro em alta de 0,69%, ligeiramente acima da expectativa de economistas consultados pela Reuters (0,65%).

O dado positivo vem depois de quatro quedas seguidas e no ritmo mais forte desde fevereiro, apontando para alguma retomada econômica no fim de 2021, de acordo com dados do Banco Central.

Mas ainda há motivos de cautela no âmbito doméstico. Em nota a Reuters, Victor Beyruti, economista da Guide Investimentos, chamou a atenção para a paralisação de servidores públicos prevista para amanhã, em meio à pressão de várias categorias do funcionalismo por reajustes salariais.

Isso "ainda pode gerar um impacto fiscal relevante", afirmou Beyruti.

(Com Reuters)

Cotações