PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Cotações

Dólar opera quase estável, vendido a R$ 5,097; Bolsa sobe

Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo
Imagem: Kevin David/A7 Press/Estadão Conteúdo

Do UOL*, em São Paulo

17/03/2022 10h09Atualizada em 17/03/2022 10h28

O dólar comercial operava quase estável com investidores repercutindo a decisão do Banco Central de elevar a taxa Selic em 1 ponto percentual, a 11,75%, ao mesmo tempo em que avaliavam as perspectivas de posicionamento mais duro do Federal Reserve nos Estados Unidos. Por volta das 10h30 (horário de Brasília), a moeda oscilava 0,07%, negociada a R$ 5,097.

Na véspera, a divisa fechou o dia em desvalorização de 1,27%, cotada a R$ 5,093.

No mesmo horário, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), o Ibovespa, tinha alta de 0,76%, aos 111.962,03 pontos.

Ontem, o BC colocou em prática o plano de reduzir a intensidade do ciclo de aperto monetário adotado para conter a inflação, e indicou ajuste da mesma magnitude na próxima reunião, apesar de destacar a incerteza sobre o atual cenário.

Estrategistas do Citi disseram em relatório desta quinta-feira que "o real tem potencial de operar bem" na esteira da decisão do Copom, já que juros mais altos no Brasil tendem a elevar a atratividade dos rendimentos oferecidos pela moeda local, mas também condicionou essa expectativa ao apetite por risco global.

Nesta manhã, as ações europeias e os futuros de Wall Street passaram a cair, devolvendo ganhos recentes depois que a Rússia moderou as expectativas em torno das discussões de paz com a Ucrânia. No mercado de câmbio, o índice do dólar caía 0,1%.

Investidores também repercutiam a decisão do Federal Reserve de elevar na quarta-feira os juros em 0,25 ponto percentual. O banco central norte-americano apresentou um plano agressivo para empurrar os custos de empréstimos nos Estados Unidos a níveis restritivos no próximo ano, diante das preocupações com a inflação alta e a guerra na Ucrânia.

*Com informações da Reuters

Cotações