PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Cotações

Dólar cai 1,03% e fecha a R$ 5,167; Bolsa tem alta de 0,55%

Dados de desemprego nos Estados Unidos e a sinalização do Banco Central do Brasil do fim do ciclo de aumento dos juros influenciam investidores - Getty Images
Dados de desemprego nos Estados Unidos e a sinalização do Banco Central do Brasil do fim do ciclo de aumento dos juros influenciam investidores Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo*

05/08/2022 17h23

O dólar comercial caiu mais de 1% pelo segundo dia consecutivo e fechou a sexta-feira cotado a R$ 5,167. Por sua vez, o Ibovespa, principal índice da B3, a Bolsa de Valores de São Paulo, teve alta na sessão de hoje, encerrando o pregão com crescimento de 0,55%, a 106.471,92 pontos.

A exemplo de ontem, o dólar continuou compensando os ganhos de terça-feira (2), quando a moeda disparou. O movimento do dólar também foi influenciado pelos dados de desemprego nos Estados Unidos e a perspectiva do fim do ciclo de aumento dos juros no Brasil.

O real atipicamente descolou de seus pares, ostentando o segundo melhor desempenho global numa curta lista de seis moedas que batiam o dólar no dia.

Nas variações semanal e mensal, a moeda estrangeira teve recuo de 0,14% e na anual a moeda caiu 7,34%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Bolsa teve leve alta

O Ibovespa, por sua vez, teve um movimento mais tímido, crescendo 0,55%. Nas variações semanal e mensal, a Bolsa subiu 3,21%. Na anual, a variação foi 1,57% positiva.

O índice também foi impactado pela divulgação dos números de desemprego nos Estados Unidos, que foram melhores do que o esperado.

Na visão do estrategista-chefe da Avenue Securities, William Castro Alves, os dados são negativos para ações em um primeiro momento, pois reforçam apostas de que o Federal Reserve deverá manter uma política monetária mais firme.

A maior alta foi da Braskem (BRKM5), que subiu 3,70%. O destaque negativo ficou com a Alpargatas (ALPA4), marca que controla a Havaianas, que despencou 13,09%.

*Com Reuters

Cotações