Conteúdo publicado há 10 meses

Bolsa sobe 1,86% após PIB melhor do que esperado; dólar fecha a R$ 4,941

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira (B3), encerrou o pregão em alta de 1,86%, aos 117.892,96 pontos.

O dólar comercial encerrou a sessão desta sexta-feira (1º) em queda de 0,21%, cotado a R$ 4,941.

O que aconteceu:

O Ibovespa avançou com Vale entre os destaques de alta e embalado pelo cenário externo favorável a ativos de risco.

No Brasil, o PIB (Produto Interno Bruto) cresceu acima das expectativas no segundo trimestre, ampliando o noticiário positivo no primeiro pregão de setembro. O PIB cresceu 0,9% no período na comparação com os três meses anteriores, ficando bem acima da expectativa em pesquisa de Reuters de um avanço de 0,3%.

O resultado do PIB é favorável ao fortalecimento do real, porque, segundo Leonel Mattos, analista de inteligência de mercado da Stonex, mostra um dinamismo melhor do que o esperado na economia brasileira, fortalece a confiança dos investidores num bom desempenho dos ativos brasileiros e contribui para a atração de investimentos.

Mercado também repercutiu um relatório de emprego norte-americano que ofereceu sinais de arrefecimento do mercado de trabalho nos Estados Unidos.

O relatório do Departamento do Trabalho dos EUA mostrou que a taxa de desemprego subiu para 3,8% no mês passado, enquanto o crescimento dos salários diminuiu. A economia dos EUA abriu mais vagas fora do setor agrícola do que o esperado, embora os dados de julho tenham sido revisados para baixo. Com o resultado, a expectativa do mercado é que o Federal Reserve pause o aperto monetário.

O desempenho da atividade industrial na China melhor do que o esperado e novas medidas de Pequim para estimular a segunda maior economia do mundo reforçavam tom positivo.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial (saiba mais clicando aqui). Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Continua após a publicidade