PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Patê gourmet de banana verde com casca faz empresa faturar R$ 216 mil

Larissa Coldibeli

Do UOL, em São Paulo

30/04/2014 06h00

Fabricar patês e molhos de tomate gourmet com biomassa de banana verde (pasta feita com a polpa e com a casca da fruta cozida) na receita é o negócio do empresário Lourival Franchi Filho, 33. Ele fundou a empresa La Pianezza, em 2011, depois de fazer um curso de gastronomia e largar a carreira no mercado financeiro para se dedicar ao que, até então, era um hobby.

O investimento inicial foi de R$ 800 mil, segundo Franchi Filho. Hoje, o negócio fatura, em média, R$ 216 mil por mês.

Os patês estão disponíveis nos sabores alcachofra, berinjela, castanha-de-caju, nozes, tomate com pimenta jalapeño e sardela. Os preços vão de R$ 12 a R$ 15 (145 g). Os molhos de tomate possuem a versão tradicional, com manjericão e apimentado e custam de R$ 9 a R$ 12 (320 g). Estes são os valores cobrados para o consumidor final.

Franchi Filho começou a produção da empresa sem usar biomassa de banana verde. Um ano depois de abrir o negócio, ele conheceu os seus atuais sócios –Cleonildo Filho, Marcia Bianchi, Vinicius Maschio e Cleonildo Neto–, que trabalhavam com o produto, e resolveu adicioná-lo às receitas para deixá-las mais saudáveis e conquistar um novo público, segundo ele.

A banana é fonte de amido, vitaminas do complexo B, potássio e fósforo, entre outros nutrientes, de acordo com a nutricionista Aritiane Silva. Ela afirma que a biomassa é fonte de fibras e ajuda no funcionamento do intestino, previne casos de diarreia e de câncer de intestino e dá maior sensação de saciedade, por ter digestão lenta.

“Para a banana se transformar em biomassa, ela precisa ser cozida ainda verde, em um processo que melhora os benefícios do amido que ela possui. Esse amido serve como alimento para as boas bactérias do intestino grosso, onde a biomassa será digerida e absorvida.”

Biomassa corresponde a 38% da composição dos produtos

O empresário afirma que a biomassa da banana verde corresponde a cerca de 38% da composição dos produtos. Para deixar os patês e molhos mais saudáveis, ele diz que também reduziu a quantidade de sal e trocou alguns ingredientes por opções mais saudáveis. 

“Verificamos todos os ingredientes e mapeamos o que poderíamos melhorar em termos nutricionais. Assim, adicionamos ingredientes como alho-poró, que é rico em sais minerais, e, na pasta de sardela, trocamos o aliche por sardinha, que tem mais ômega 3”, afirma. Para alterar as receitas, ele afirma que investiu R$ 100 mil em pesquisas.

A La Pianezza produz cerca de 6 toneladas de patês e molhos de tomate por mês e comercializa, em média, 24 mil unidades. Os produtos são vendidos para distribuidores, pelo preço médio de R$ 9, que repassam para empórios, padarias e lojas de produtos naturais.

A empresa também faz dois tipos de temperos, que custam, em média, R$ 20 (90 g). “Eles não têm a biomassa de banana, mas possuem 50% menos sódio que similares e não contêm realçador de sabor”, afirma o empresário.

No último mês de abril, ele passou a vender também a biomassa da banana verde em pasta, que tem o preço médio de R$ 24 (250 g). Os produtos são vendidos em empórios, padarias, casas de produtos naturais em vários lugares do país e também pela internet. A empresa já exporta para a Alemanha e está negociando vendas para a França.

Mercado é promissor, mas produção exige planejamento

Para Marcelo Sinelli, consultor do Sebrae-SP (Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa de São Paulo), o empresário acerta ao apostar nos segmentos gourmet e de produtos saudáveis, pois estes mercados são crescentes.

“Nos últimos anos, com mais acesso à informação e mais brasileiros viajando ao exterior, houve a sofisticação do consumidor. Eles passam a querer aqui produtos que conheceram lá fora. A procura por itens saudáveis também aumenta, pois a consciência das pessoas em relação aos cuidados com a saúde está maior”, diz.

No entanto, o consultor afirma que são necessários cuidados com a capacidade de produção e também com a criação de novos itens para que a empresa seja bem-sucedida.

“Ele precisa ficar atento para não ser vítima do sucesso. Isso acontece quando a procura pelo produto é maior do que a capacidade de produção, o que frustra os clientes. Também é importante apresentar novidades, para não perder mercado.”

Mande sua pergunta para a empresa La Pianezza responder

  • Pergunte a Lourival Franchi Filho, 33, sobre a empresa La Pianezza e sua história. O UOL vai selecionar as melhores perguntas que serão respondidas pelo empreendedor. Envie o e-mail aqui.

Empreendedorismo