ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empreendedorismo

Ex-professor fatura R$ 1 mi com escultura de balões e faz festas de famosos

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo

12/06/2014 06h00

Castelos, animais, personagens de desenhos e até dinossauros são feitos de balões pelo empresário Luiz Carlos da Costa Silva, 47, em São Paulo. Sua empresa, a Cenário Balões, faz decorações principalmente para festas infantis e, em 2013, faturou R$ 1 milhão, de acordo com o empreendedor.

Silva, que largou a carreira de professor de educação física em 1998 para abrir o negócio, diz que chega a fazer 35 decorações de festas por mês. O empresário afirma ter no seu portfólio grandes decorações --para uma das festas, recriou o salão de baile do filme "A Bela e a Fera"-- e clientes famosos, como os apresentadores Roberto Justus, Otávio Mesquita e Rodrigo Faro.

O setor de festas e eventos faturou R$ 14,5 bilhões em 2013, segundo estimativas da Abrafesta (Associação dos Profissionais, Serviços para Casamento e Eventos Sociais). Para este ano, espera-se uma receita de R$ 16 bilhões.

O mercado em alta e o baixo investimento inicial atrai pequenos empreendedores, como a pernambucana Kairelucy Mota, 35, que entrou no mercado em 2009 com gasto de R$ 1.000.  

Preço da decoração depende da complexidade e do tempo

O preço médio das decorações feitas pela Cenário Balões, de São Paulo, é de R$ 2.500, de acordo com Silva. No entanto, ele diz ter cobrado R$ 37 mil para montar um cenário baseado em um safári em um bufê de 600 metros quadrados. Ele não revela quantos balões foram usados.

“Enchemos os balões e fazemos as esculturas ainda na empresa. No local da festa, fazemos apenas a montagem e desmontagem da decoração”, afirma. Com sete funcionários, leva-se, em média, de um a dois dias para criar a decoração e mais duas horas para montá-la no salão de festa, conta o empresário Silva.  

“Os balões são o menor custo que tenho. Levo mais em consideração a dificuldade e quantidade de horas trabalhadas na formação do preço final”, declara. No caso do safári, ele diz ter gastado uma semana inteira para criar o cenário com esculturas de girafas de quatro metros de altura, leão, zebra e elefante.

Segundo Silva, o investimento inicial no negócio foi de R$ 4.000. Porém, para se manter no negócio e aprender a criar esculturas mais complexas, ele conta ter participado de cursos e seminários internacionais. 

Empresária começou negócio com R$ 1.000

Kairelucy Mota também investiu em cursos e certificados internacionais para aprimorar a técnica de decoração com balões. Para começar o negócio em 2009, ela gastou R$ 1.000 na compra de matéria-prima, um compressor para encher os balões e um medidor, que auxilia a deixá-los do mesmo tamanho.

Por mês, a empresa dela, a Kaire Mota Art Balloons, de Recife, faz seis festas e fatura R$ 18 mil. O custo médio das decorações é R$ 3.000, mas ela já fez trabalhos de R$ 15 mil. 

O negócio tem quatro funcionários –incluindo a proprietária– e a divulgação do serviço é feita por meio de parcerias com bufês, organizadoras de eventos, nas redes sociais e no boca-a-boca dos clientes. "Esse tipo de indicação é o que nos rende a maioria dos trabalhos", afirma.

Mercado está em alta, mas falta profissionalismo nas empresas

De acordo com o presidente da Abrafesta, Cristofer Jens Mickenhagen, a maioria das empresas atuantes no setor são de pequeno porte. No entanto, muitos empresários sofrem com a falta de profissionalismo em relação à atividade e à gestão do negócio.

“Se a empresa não tem conhecimento técnico, ela pode colocar em risco a segurança do evento e destruir o sonho do cliente que esperou muito e pagou para ter aquela festa”, afirma.

Baixo investimento inicial faz concorrência ser acirrada

Para o professor de empreendedorismo do Insper Marcelo Nakagawa, esse é um setor fácil de entrar e que exige baixo investimento, porém o difícil é manter-se no mercado. “Grande parte dos prestadores do serviço atuam apenas aos finais de semana para complementarem a renda e acabam oferecendo preços abaixo do normal”, diz.

Por isso, Nakagawa afirma que a concorrência é acirrada e o empreendedor precisa oferecer outros serviços para não disputar clientes apenas no preço. Fazer decorações para outros públicos, como casamentos e eventos corporativos, e produzir brindes para festas podem ajudar a empresa ampliar sua atuação.

Onde encontrar:

Cenário Balões: (11) 2468-2691. Site: www.cenariobaloes.com.br

Kaire Mota: (81) 3236-5074. Site: www.kaireballoons.com

Mais Empreendedorismo