PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Empreendedorismo

Reciclagem e conserto de bens são tendências de negócio em 2015, diz Sebrae

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo

08/01/2015 16h28

Novos negócios ligados a reciclagem, reparação de bens duráveis como carros, motos e computadores são tendência para 2015, segundo estudo feito pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas). Também compõem a lista serviços de beleza e estética, preparo de alimentos, confecção de roupas e construção civil.

De acordo com o Sebrae, as perspectivas estão voltadas aos segmentos da economia que atendem o mercado interno. O quadro econômico do país é o principal motivo. Segundo Marco Aurélio Bedê, gerente do Sebrae Nacional, em tempos de baixo crescimento da economia, o consumidor fica mais receoso e prefere o conserto de seus bens à troca por novos.

“Passamos por um momento de alta demanda por veículos, aparelhos eletrônicos e imóveis. Isso, no entanto, diminuiu e a tendência agora é que as pessoas façam a manutenção desses bens adquiridos”, diz.

O comportamento do consumidor também interfere no mercado. De acordo com Bedê, a população em geral está mais preocupada com o meio ambiente, o que pode impulsionar negócios na área de reciclagem de resíduos.

“A própria crise hídrica no Estado de São Paulo despertou interesse e preocupação das pessoas em manter esse bem natural”, afirma. Novas regras sobre coleta seletiva na capital paulista, por exemplo, também podem impulsionar negócios do setor. “O consumidor está mais consciente sobre a necessidade de reciclar.”

Negócios que atendem necessidades básicas têm boas chances

De acordo com o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, os negócios promissores para 2015 têm uma forte característica de atender às necessidades básicas da população, que têm adquirido novos hábitos nos últimos anos.

“O mercado interno cresceu muito na última década com a ascensão econômica de milhões de famílias das classes C e D. Isso gerou novas demandas e beneficiou diretamente os pequenos negócios, que oferecem serviços e produtos que foram incorporados ao dia a dia da população”, afirma.

Os demais segmentos são atividades típicas de pequenos negócios e tendem a crescer independente da conjuntura econômica, segundo o Sebrae. São empresas de preparação de alimentos, confecções e lojas de roupas, cabeleireiros, comércios de cosméticos, serviços de estética e produção e venda de bijuterias.

Empreendedor deve ter cuidado ao escolher ramo de atuação

No entanto, para ter sucesso nos negócios no próximo ano, não basta apenas investir nas atividades com melhores perspectivas, segundo Luiz Barretto.

“Não podemos afirmar que apenas quem investir nessas atividades colherá bons frutos em 2015. Há chances de sucessos para muitas outras atividades. O importante é se preparar adequadamente para a entrada no mundo dos negócios”.

Para chegar a esses resultados, o Sebrae identificou os segmentos com maior potencial de expansão nos últimos anos e os que mais tendem a se beneficiar com as tendências da sociedade.

De acordo com dados mais recentes da entidade, nos dez primeiros meses de 2014 foram criados mais de 1 milhão de negócios formais no país. Esse número está próximo à quantidade de empresas criadas no mesmo período de 2013.

(Com Agência Sebrae)

PUBLICIDADE

Empreendedorismo