Bolsas

Câmbio

Empresa transforma tubo de pasta dental em mesa, cadeira e casa de cachorro

Márcia Rodrigues

Colaboração para o UOL, em São Paulo

A artista plástica e empresária Claudia Schalka, 57, encontrou uma forma de reaproveitar tubos de pasta de dente reprovados pelo controle de qualidade da indústria e que seriam descartados em aterros sanitários ou incinerados.

Ela mói e prensa os tubos e os transforma em placas que podem virar telhas, portas, paredes, mesas, cadeiras, armários, pisos, casinhas de cachorro, entre outros.

A Ecotop foi criada em 2003, em Barueri (30 km a oeste de São Paulo), mas o registro no Inpi (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) saiu somente em 2007.

A empresária diz que seus clientes são designers, arquitetos e as indústrias moveleira e naval. Ela afirma que suas placas também já foram transformadas em embalagens para bebidas, carroceria de caminhão, tapume para obras e capa de caderno.

Atualmente, a empresa produz de 7.000 a 10 mil placas por mês. A empresária, no entanto, não revela o faturamento nem o lucro do negócio.

Segundo ela, a companhia recebe 100 toneladas de tubos por mês somente da indústria. Eles são entregues limpos, sem nunca terem sido utilizados."Por não haver uma coleta seletiva eficaz em São Paulo, não conseguimos reaproveitar muitos tubos oriundos de reciclagem", diz Schalka.

A  empresária afirma que somente 2% dos tubos que recebe vêm da reciclagem. "Não são de cooperativas, mas de amigos e de pessoas que conhecem o meu trabalho e que guardam as peças para me entregar."

De acordo com a empresária, esses tubos são entregues com o mínimo de pasta de dente e, por isso, não precisam ser higienizados antes de serem moídos e prensados. "A quantidade é tão pequena que não afeta o processo."

"Depois que prensamos o material, ele sai totalmente maleável da máquina e pode ser facilmente transformado em vários produtos."  Schalka não revela, no entanto, o que vai na composição da placa e nem a temperatura na qual ela é submetida por considerar segredo industrial.

Indústria precisa reduzir erro

Para Daniel Levy, mentor da Endeavor, organização de fomento ao empreendedorismo, o descarte de 100 toneladas de tubos de pasta de dente por erro da indústria é grave.

"A preocupação socioambiental não deve estar concentrada apenas nas empresas que atuam com a produção sustentável. A indústria precisa reduzir essa margem."

Mercado sustentável está em forte expansão

De acordo com ele, apesar do desperdício da indústria, a economia circular, ou seja, aquela que procura resgatar o que seria jogado fora para ser utilizado novamente na cadeia produtiva, vem crescendo.

"A população está se conscientizando sobre a importância de cuidar do meio ambiente e valorizando produtos que foram criados com material que seria jogado fora ou que foi retirado da natureza."

Desenvolvimento de tecnologia pode ser caro

Levy afirma, no entanto, que quem quer investir na área deve ter a consciência de que estará explorando algo novo, e que o processo de reaproveitamento de material vai exigir alto investimento.

"Por estarmos falando de um segmento que ainda é novidade, são poucos os processos que já começaram a ser testados.  O empreendedor provavelmente vai precisar criar todas as etapas do processo, fazer vários testes até chegar ao produto final."

Onde encontrar:

Ecotop: http://www.ecotop.com.br

Esqueçam o emprego e sejam empreendedores, diz Nobel da paz

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos