Bolsas

Câmbio

Hospitais veterinários internam bichos com seus donos para ajudar na cura

Renata Tavares

Colaboração para o UOL, em Uberlândia (MG)

Para acelerar a recuperação dos animais e, de quebra, diferenciarem-se da concorrência, dois hospitais veterinários apostam na "suíte do acompanhante". Os donos podem ficar perto do bicho que está em tratamento, com direito a sofá-cama ou poltrona reclinável, banheiro privativo, TV, frigobar, ar condicionado e até pensão completa, dependendo do pacote.

O serviço é oferecido no hospital Sena Madureira, em São Paulo, e no Pronto Socorro Veterinário (PSV), em Uberlândia (a 537 quilômetros de Belo Horizonte). A diária custa a partir de R$ 400, na cidade mineira, e a partir de R$ 1.080, na capital paulista.

"É muito semelhante a um quarto de hospital humano. O objetivo é dar conforto e tranquilidade ao animal e ao dono", afirma o veterinário Mário Marcondes dos Santos, diretor clínico do hospital Sena Madureira. A ala para internação com acompanhante foi criada há quatro anos.

"O carinho faz toda diferença no tratamento. O animal fica mais tranquilo e o dono também", diz a veterinária Ana Paula Buiati, uma das donas do PSV. Se o animal precisa receber remédio por meio de soro, por exemplo, ele pode ficar no colo do dono.

O PSV inaugurou o serviço há um ano. "Temos quatro hospitais 24 horas [na cidade e na região] e nós queríamos nos diferenciar pelo atendimento, cuidado e qualidade no serviço prestado. A internação foi uma ótima aposta", diz Ana Paula.

Opção para quem vem de longe

A ideia surgiu da necessidade de clientes que veem de longe. É o caso da psicóloga e professora universitária Sheila Maria Pereira, 48, que mora em Itumbiara (GO), a 120 quilômetros de Uberlândia (MG). Ela tem duas cachorras e uma delas, Brisa, foi diagnosticada com tumor no fígado e precisou ser operada.

"Quando soube do quarto não pensei duas vezes. Foi uma oportunidade de ter onde ficar e ainda acompanhar de perto a recuperação da Brisa", conta. "Acredito que minha presença acelerou o processo de recuperação da Brisa. Doze horas após a cirurgia ela já estava de pé. Foram apenas dois dias de internação e retornei a Itumbiara."

No hospital Sena Madureira, a maior parte dos pacientes que optam pela internação com acompanhante é do interior de São Paulo ou de outras regiões do país, segundo o diretor clínico. "Fomos sentindo essa necessidade porque víamos que havia pessoas vindo de fora e que ficavam em hotéis."

Serviço é mais indicado para cães

Nos dois casos, a internação pode ser usada 24 horas por dia ou durante meio período, todos os dias da semana. O serviço é mais indicado para cães, segundo Marcondes, devido à personalidade do animal, que costuma ser mais próximo da família. "O gato é um animal mais independente, não sente o estresse de estar longe dos tutores como os cães", diz.

Esse tipo de internação, segundo os dois veterinários, só é contraindicado para animais com doenças contagiosas ou que estejam em estado grave de saúde e que precisam ser encaminhados para UTI.

Diária a partir de R$ 400 (MG) e R$ 1.080 (SP)

Todo esse conforto tem um preço. Em São Paulo, a diária é a partir de R$ 1.080 e inclui a estadia e os remédios. "Só não está incluso o valor dos exames que o animal pode necessitar", diz Marcondes.

Além do quarto para acompanhante, o hospital construiu também uma capela. "Muitas pessoas ficam fragilizadas com a doença do animal e buscam conforto na oração. O nosso objetivo foi criar um ambiente acolhedor seja qual for a religião."

No hospital de Uberlândia (MG), a diária é a partir de R$ 400. "Esse valor cobre os custos com o veterinário para o animal e ainda um enfermeiro disponível 24h para o dono, caso ele se sinta mal", diz Ana Paula. Remédios e exames do animal são cobrados à parte.

Custo de manutenção é alto

O Sena Madureira não informa quanto investiu. Segundo Marcondes, o faturamento mensal só com esse serviço gira em torno de R$ 48 mil; o lucro não foi informado. Questionado se a "internação vip" aumentou os ganhos, ele afirmou que "o custo para manutenção do serviço é alto", mas não quis citar valores. De acordo com Marcondes, a média é de 15 internações por mês e cada paciente fica até três dias no hospital.

No PSV, de Uberlândia (MG), foram investidos R$ 13 mil para construir o quarto do acompanhante e, após um ano, o hospital já recuperou o investimento. Em um ano, foram 46 cães internados com seus donos, por uma média de três dias. O faturamento anual com a acomodação vip foi de R$ 55,2 mil. O lucro não foi informado.

Público é restrito e serviço não é essencial

Identificar no mercado uma oportunidade de se diferenciar é uma característica muito importante do empreendedor, segundo o analista de inovação do Sebrae no Triângulo Mineiro, Fabiano Alves.

"O mercado já entendeu que hoje os animais são membro da família. Esse cuidado com o animal é uma oportunidade importante que muitos estão enxergando para aumentar os lucros", afima. O grande risco, segundo ele, é que o serviço é destinado a um público restrito, que tem alto padrão de vida. Além disso, em momentos de crise, o serviço pode ser "evitado" por não ser um item de necessidade básica.

"Antes de investir, o empreendedor precisa primeiro fazer a análise do mercado naquela região. Cada cidade ou Estado tem uma característica específica. Às vezes, o que é bom em São Paulo não serve para Belo Horizonte, por exemplo, porque o perfil da população é diferente".

Onde encontrar:

Hospital Veterinário Sena Madureira: http://www.senamadureira.com

Pronto Socorro Veterinário: http://www.prontosocorroveterinario.com.br

Muito cuidado: você pode estar envenenando o seu cachorro ao dar chocolate

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos