Hotel em contêiner, montado como Lego, tem diária de R$ 50 a R$ 120

Paulo Gratão
Colaboração para o UOL, em São Paulo

Depois de trabalhar por mais de 15 anos como diretor de desenvolvimento de negócios em uma das maiores redes hoteleiras do mundo, o Hilton, Guilherme Castro fundou o grupo Samba Hotéis, que já tem sete unidades em diversas cidades brasileiras e pretendem chegar a 13 neste ano.

A novidade é o Samba in the Box, uma modalidade de hotel em contêineres, que podem ser montados e desmontados, como um Lego, em diversos formatos e locais diferentes. De acordo com Castro, um prédio de 120 quartos fica pronto em até quatro meses e custa cerca de R$ 1 milhão.

Leia também:

Para efeito de comparação, um hotel de alvenaria do grupo leva um ano para ficar pronto e custa em torno de R$ 30 milhões, além de ficar preso à demanda local.

"Desenvolvemos a ideia com o modelo de contêiner em conjunto com a Eurobras (empresa de módulos habitacionais). Já temos cinco unidades negociadas em cidades do interior em São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso", declara.

O Samba in the Box oferece opções de hotéis tradicionais e quartos coletivos, no estilo hostel.

Empresa diz que conforto é o mesmo

De acordo com o CEO, o hóspede não vê diferenças entre uma estada em um hotel convencional ou no contêiner.

"Não há diferenças, pois trabalhamos o projeto para que o hóspede sequer perceba que o hotel é feito em contêiner tanto na questão acústica e decoração quanto em disposição espacial dos modelos." 

Franquias por R$ 1,5 milhão

As unidades que poderão ser montadas e desmontadas ficarão sob gestão própria da Samba, mas hotéis de contêineres fixos, instalados em regiões com baixa demanda, como cidades de até 20 mil habitantes, por exemplo, serão franqueados. Ainda não há nenhum negócio fechado, mas a empresa diz que está em "negociação".

O custo para ter uma franquia será de R$ 1,5 milhão, incluindo. Veja mais detalhes:

  • Investimento inicial: R$ 1,5 milhão (inclui taxa de franquia)
  • Royalties: 3% do faturamento
  • Faturamento médio mensal: de R$ 100 mil a  R$ 130 mil
  • Lucro médio mensal: 30% do faturamento
  • Retorno do investimento: dois anos e meio

"Mapeamos 48 destinos onde são necessários hotéis desse porte", afirma. A expectativa é abrir cinco unidades em 2018 e saltar para 25 em até três anos.

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento de Hotelaria e Turismo foi um dos que mais cresceram em 2017, com expansão de 9,7% no faturamento, gerando cerca de R$ 11,2 bilhões.

Hotel para caminhoneiros e vendedores

Castro afirma que a proposta do Samba in the Box não é concorrer com os hotéis tradicionais e sim criar uma nova demanda, similar ao que aconteceu com serviços como Uber e AirBnB.

"Os pontos a serem instalados não são destinos regulares da hotelaria tradicional. A necessidade do nosso potencial hóspede não anula quem utiliza esse tipo de hotelaria. Vamos lidar com caminhoneiros, representantes comerciais, profissionais autônomos etc. Somos concorrentes de forma secundária", defende.

O preço da diária para o hóspede varia de R$ 100 a R$ 120 no modelo tradicional de hotel. Para hostel, gira em torno de R$ 50 a R$ 70. As unidades oferecerão máquina de lavar roupas self-service, snack machine e recepção 24 horas com segurança.

Custos menores, mas a burocracia é a mesma

Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (Abih Nacional), Manoel Linhares, a iniciativa tem pontos positivos, tanto no uso como unidade habitacional de um hotel, como para receber potenciais eventos.

"O custo e o tempo de produção são mais enxutos e adaptáveis e sua flexibilidade permite atuar de acordo com a demanda, sendo possível alterar a quantidade de quartos e até o local do evento", comenta.

No entanto, mesmo hotéis em contêineres, que sejam montados em caráter temporário, precisam passar por pesquisas de mercado e de demanda. O especialista diz, ainda, que como se trata de uma transação comercial característica do setor de hospedagem, é necessário atender a normas das cidades, do estado e da União.

"Há uma legislação específica que esses novos formatos, feitos em contêineres, por exemplo, deverão atender. As licenças ambientais estão entre as exigências principais para se abrir uma unidade hoteleira, além da regularização de outras questões relativas à atividade comercial", afirma.

Onde encontrar:

Samba Hotéis - http://www.sambahoteis.com/