Topo

Empreendedorismo


Franquias faturam 5,9% a mais no 2° trimestre, diz pesquisa da ABF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/08/2019 17h50

O faturamento do setor de franquias cresceu 5,9% no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, passando de R$ 40,7 bilhões para R$ 41,1 bilhões. No acumulado em 12 meses, quase chegou a R$ 180 bilhões: passou R$ 168,4 bilhões para R$ 179,9 bilhões (crescimento de 6,9%).

Os dados foram divulgados hoje pela ABF (Associação Brasileira de Franchising), em sua pesquisa trimestral, que abrangeu associados e não associados.

De acordo com o presidente da ABF, André Friedheim, a pesquisa mostra que o setor de franquias manteve sua trajetória gradativa de crescimento. Entre as causas, estão o trabalho em rede, ganhos em escala, consolidação das marcas e treinamento contínuo.

A ABF disse que o crescimento é moderado e que isso reflete uma demanda desaquecida e a confiança oscilante por parte de empresários e consumidores, em grande parte relacionada à alta taxa de desemprego e a incertezas em relação ao andamento das reformas e outras medidas macroeconômicas. Por isso, a entidade revisou a projeção de crescimento do faturamento do franchising deste ano para 7% --a projeção era de 8% a 10% no início de 2019.

Unidades franqueadas e geração de empregos

O movimento de abertura e fechamento de lojas teve um saldo positivo de 2,1%, com aumento de 4,3% nas operações abertas e de 2,2% nas fechadas, na comparação com o mesmo período do ano passado. No segundo trimestre, o número de unidades franqueadas em operação no país chegou a 159,7 mil.

Também houve aumento de 10% no número de empregos diretos no franchising, na comparação com o segundo trimestre do 2018. O total de trabalhadores registrados subiu de 1.224.987 para 1.348.235.

Segundo a ABF, o franchising brasileiro responde por 2,4% do PIB (Produto Interno Bruto) e emprega diretamente mais de 1,2 milhão de pessoas.

Crescimento por segmentos

Os 11 segmentos elencados na pesquisa registraram variação positiva no segundo trimestre frente ao mesmo período de 2018. Veja os cinco segmentos que mais cresceram:

  1. Serviços e outros negócios: +8,9%
  2. Serviços educacionais: +8,7%
  3. Comunicação, informática e eletrônicos: +8,5%
  4. Saúde, beleza e bem-estar: +6,6%
  5. Casa e construção: +6%

Em relação aos estados, os que mais ganharam participação no faturamento total foram Santa Catarina (de 4% para 4,5%), Mato Grosso (de 1,9% para 2,1%) e Minas Gerais (de 7,7% para 7,9%).

51,5% dos empreendedores brasileiros são mulheres

Band Notí­cias

Empreendedorismo