ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empregos e carreiras

Sem tempo para aprender? Veja como a educação online pode ajudar a carreira

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Do UOL, em São Paulo

23/05/2015 06h00

A opção pela educação a distância tem crescido entre aqueles que procuram o ensino superior, inclusive em universidades tradicionais. No mundo corporativo, o desenvolvimento de carreira utilizando meios online também tem ganhado atenção em um mercado competitivo, onde profissionais têm cada vez menos tempo.

Segundo especialistas consultados pelo UOL, essa continua sendo a principal razão para optar por métodos online de educação, além da comodidade.

Para Luciano Sathler, diretor da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), as mudanças nos processos de trabalho são muito rápidas, fazendo com que os profissionais precisem estar praticamente em um treinamento constante, o que seria impossível em cursos tradicionais. "Com o método online, é possível aprender até sem sair do espaço de trabalho e na hora que precisa", afirma.

Games e redes sociais

Getty Images
Imagem: Getty Images

O rápido avanço tecnológico provocou mudanças nas ferramentas usadas nesse tipo de educação. Hoje empresas desenvolvem vídeos, games e até redes sociais específicas para treinar seus funcionários, onde eles podem trocar experiências.

Levantamento divulgado pela Ciatech, empresa do grupo UOL especializada em treinamento corporativo a distância, aponta essas possibilidades tecnológicas como tendências para o futuro.

"Os funcionários podem aprender uns com os outros no meio digital. Isso é relativamente novo. Redes sociais eram vinculadas a diversão, mas hoje também são focadas no ambiente profissional", afirma Rodrigo de Godoy, gerente de treinamento corporativo da Ciatech.

Um exemplo do uso de tecnologias diferentes na educação é o do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), que oferece cursos a distância gratuitos com games. Entre os objetivos estão ensinar pesquisa de mercado, identificar o perfil do cliente e dar noções de empreendedorismo.

Instituições internacionais com cursos gratuitos

Getty Images
Imagem: Getty Images

Diversas instituições do mundo todo oferecem cursos online, inclusive gratuitos. Muitas delas estão reunidas no Open Education Consortium (consórcio de educação aberta).

No Brasil, a FGV (Fundação Getulio Vargas) faz parte do consórcio, oferecendo cursos como "Introdução à Administração Estratégica", "Ética Empresarial" e até mesmo "Como Planejar a Aposentadoria", "Como Organizar o Orçamento Familiar" e "Como Fazer Investimentos - Básico". 

Cursos gratuitos online

  • Open Education Consortium

    www.oeconsortium.org/providers

  • Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas)

    https://www.ead.sebrae.com.br/

  • FGV (Fundação Getulio Vargas)

    http://www5.fgv.br/fgvonline/Cursos/Gratuitos

Coaching a distância

Reprodução/Gizmodo
Imagem: Reprodução/Gizmodo

Outra modalidade de desenvolvimento profissional que está ganhando espaço são os coachings a distância.

Felipe Maluf, sócio-diretor da YCoach, empresa que oferece o serviço, afirma que atualmente 20% a 30% das pessoas que atendem fazem coaching utilizando ferramentas de vídeo, como o Skype. Alguns clientes estão em outros países, e o coach nunca chegou a vê-los pessoalmente.

Mesmo assim, ele defende que a experiência presencial é mais rica. "A relação humana é insubstituível", afirma. "A tendência [da demanda por online] é aumentar. Mas o coaching a distância é para quem não tem outra opção. Enquanto estiver na minha alçada, vou fazer de tudo para que os encontros sejam presenciais, porque são mais prazerosos e produtivos".

Resistência do mercado

ThinkStock
Imagem: ThinkStock

Principalmente no mercado de educação formal, como em universidades, os cursos a distância ainda enfrentam barreiras e desconfiança. Sathler acredita que no mundo corporativo essas dificuldades são menores, porque os cursos voltados para empresas são livres e mais específicos.

Para Rodrigo de Godoy, a barreira tende a diminuir. "É o mesmo caminho pelo qual passaram as compras online ou o acesso a bancos via internet. Pessoas que utilizavam esses serviços eram vistas como corajosas, hoje isso é banal".

Mais Empregos e carreiras