PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

O que você tem de aprender para conseguir o emprego de seus sonhos?

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

11/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Primeiro passo é conhecer suas habilidades e ter clareza dos objetivos
  • Competências emocionais são valorizadas no mundo corporativo
  • Liderança, resiliência e equilíbrio emocional são algumas delas
  • Empresas valorizam a capacidade do funcionário de gerar resultados

Fazer o que gosta, ganhar bem e ser reconhecido. Quem nunca pensou em trabalhar nesse emprego dos sonhos? Para conseguir o cargo tão almejado numa empresa top do mercado e atingir a sua felicidade profissional, quais habilidades você precisa ter?

Especialistas em carreiras e em gestão de pessoas ouvidos pelo UOL disseram que o primeiro passo é você conhecer suas competências e habilidades e ter clareza de seus objetivos.

Cada um tem de se conhecer

"É importante saber se você gosta de rotinas ou se prefere um trabalho com mais liberdade, se sabe lidar com pressão, se lida melhor com palavras ou números. Tudo isso pode ser observado em seu dia a dia", disse Luis Fernando Câmara, sócio fundador da Vox2You, uma escola de oratória.

Depende de cada profissional descobrir o que funciona e o que não funciona para ele. "O fundamental é o autoconhecimento. É preciso ter clareza dos seus objetivos, conhecer suas competências, no que você é bom e no que não é. Fazer sua lista de prioridades e focar na busca dentro desse perfil", afirmou Claudia Gomes, diretora-executiva da Dromos Consult, holding especializada em gestão de pessoas e processos.

Competências emocionais são valorizadas

Mas o que conta para o sucesso pessoal e profissional, além de sua capacidade técnica? Claudia diz que as competências mais valorizadas no mercado de trabalho hoje são aquelas relacionadas à inteligência emocional.

"Competências comportamentais como trabalho em equipe, liderança, comunicação, resiliência, comprometimento, empreendedorismo, ética, equilíbrio emocional e flexibilidade, dentre outras, são cada vez mais requisitadas independentemente da área de atuação", afirmou.

Mas é preciso demonstrar tudo isso na prática. "Não basta constar em seu currículo essas competências, se, no momento da entrevista, você demonstrar insegurança, falta de autoconhecimento, não oferecer exemplos claros sobre suas experiências e resultados alcançados", declarou ela.

Atitude e formação técnica estão juntas

Para Luciano Salamacha, professor da FGV, o que determina o sucesso de um profissional são suas atitudes, além de sua formação técnica. "O aspecto comportamental é um requisito conhecido, pois pessoas que demonstram equilíbrio no quesito inteligência emocional são sempre muito bem avaliadas pelas empresas", disse.

Cada profissão exige conhecimentos técnicos específicos, mas em qualquer área saber se comunicar é essencial, seja você um professor ou um matemático, disse Câmara. "Lidar com outras pessoas sempre será primordial para o sucesso da equipe e do trabalho que desenvolve."

Para Claudia, a insegurança e a falta de conhecimento de si mesmo podem levar o profissional a tomar atitudes que comprometem seu desempenho e comportamento no trabalho e até mesmo em uma entrevista de emprego.

"Na ansiedade de querer demonstrar suas experiências e competências, durante uma entrevista, o profissional pode se tornar inconveniente e não perceber sua postura e, com isso, atrapalhar sua conquista da vaga", disse.

O que colocar no currículo

Preparar um bom currículo é imprescindível. Nele devem constar não só as competências emocionais como também os principais resultados promovidos por você em cada emprego.

"A formação acadêmica é de extrema importância nos currículos. No entanto, no dia a dia na empresa, o que se valoriza é a capacidade de gerar resultados, sua inteligência emocional, que o faz transitar de forma inteligente e elegante pelos vários estresses do ambiente, sua inteligência social, que lhe traz habilidade nas relações interpessoais, sua capacidade criativa e de inovar, gestão de pessoas, entre outros. Esses fatores têm sido de grande valor para as organizações, fazendo com que a formação acadêmica seja um complemento de tudo isso", declarou Matilde Berna, sócia diretora da SET Estratégia e RH.

Câmara diz que as habilidades colocadas no currículo devem ser compatíveis com o cargo que deseja ocupar naquela empresa. "Também pode ser interessante colocar no currículo o maior desafio que já enfrentou no mercado de trabalho, elencando as capacidades técnicas e as habilidades relacionadas que usou para solucioná-lo", declarou.

Depois de conquistada a vaga na empresa, é importante colocar em prática suas habilidades e competências emocionais no dia a dia corporativo, para se entrosar com a equipe e desenvolver um bom trabalho.

Não vire um "sem-noção"

Mas Luis Fernando Câmara alerta que o controle das competências também é uma habilidade. "No geral, o que pode atrapalhar não são as habilidades, e sim a forma exagerada de querer demonstrá-las. O exagero na hora de colocar em prática as competências é um grande inimigo dos profissionais. A ansiedade em conquistar a tão sonhada promoção pode transformá-lo no 'sem-noção do escritório'", declarou.

Segundo ele, boa qualificação e disposição para trabalhar já não são os únicos requisitos para alcançar o sucesso profissional. No mundo corporativo, o ideal para crescer é ser reconhecido por ajudar seus colegas, ter um bom relacionamento com a equipe, compartilhar ideias e aprendizados, resolver os problemas do dia a dia, por exemplo. "É muito melhor que suas ações falem por si".

Empregos e carreiras