IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Investir em educação deve ser prioridade aos 20 anos

Getty Images
Imagem: Getty Images

Sophia Camargo

Do UOL, em São Paulo

28/07/2014 06h00

A pessoa que estiver na faixa etária de 20 a 30 anos deve ter como principal preocupação o aprimoramento profissional. O dinheiro gasto em cursos e educação é considerado o investimento com maior retorno, que vem na forma de melhores salários.

Essa é uma dicas para se planejar e ter um futuro financeiro confortável, segundo especialistas.  O UOL ouviu Reinaldo Domingos, presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros) e da DSOP Educação Financeira, e o planejador financeiro Valter Police, do IBCPF (Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros), para saber como direcionar os esforços no planejamento financeiro para cada faixa etária.

Veja, a seguir, os conselhos dos dois especialistas para a faixa dos 20 aos 30 anos:

Quem mora com os pais pode aproveitar a capacidade de poupança para começar a investir na aposentadoria e comprar a casa própria. Reinaldo Domingos aconselha quem pode poupar a guardar até 50% da renda para a compra da casa própria e parte para a aposentadoria. "Quem poupa a parcela da prestação da casa própria investindo consegue juntar o dinheiro para comprar à vista, sem financiar e sem pagar juros. Basta ter disciplina", diz.

O maior risco dessa idade é direcionar ganhos para gastos com diversão e consumo. "A perda de foco nesses primeiros 10 anos pode levar a um endividamento crônico financeiro", alerta Domingos. "A pessoa acaba aprendendo a realizar coisas só na base do endividamento."

Outra dica é planejar cedo a aposentadoria, pois, dessa forma, precisará investir proporcionalmente menos para obter um bom patrimônio acumulado. Nessa idade, é possível destinar 10% da renda para uma poupança visando a aposentadoria, desde que essa poupança se mantenha por pelo menos 30 anos.

Os investimentos podem ser divididos em renda fixa e ações, além de plano de previdência, diz Valter Police, pois o tempo está a favor. A reserva de emergência, porém, deve sempre ser guardada em investimentos em que seja possível retirar rapidamente o dinheiro e com pouco risco, como poupança ou fundos DI.

Economia