PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

20 dicas para ensinar crianças e adolescentes a lidar com dinheiro

Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Sophia Camargo

Do UOL, em São Paulo

30/08/2014 06h00

Como ensinar as crianças a manter uma relação saudável com o dinheiro? 

Especialistas discutiram o assunto com pais, educadores e as próprias crianças no 1º Congresso Nacional de Educação Financeira para Crianças (Conefinho), ocorrido nesta quinta-feira (28), em São Paulo. 

Confira as principais dicas. 

20 dicas para ensinar a garotada a lidar com dinheiro

  • Dê mesada

    A mesada serve para ensinar a criança a administrar o dinheiro. Isso evita que o jovem fique perdido quando tiver um salário pela primeira vez

  • Ensine a criança a anotar seus gastos

    Estimule a criança a anotar quanto gastou da mesada e se conseguiu economizar. É um aprendizado para o futuro

  • Incentive a ter objetivos

    A criança deve ser estimulada a ter objetivos para o dinheiro. Por exemplo, comprar uma bicicleta ou um ingresso para um parque. Quando o dinheiro for suficiente, deixe que a criança pague

  • Estimule a poupança

    É possível ajudar o filho com motivações do tipo: se você conseguir juntar R$ 100, eu te recompenso com mais R$ 50

  • Ensine a importância do consumo consciente

    Não adianta ter dinheiro para comprar se não existir o bem à disposição. É preciso economizar os recursos naturais, como a água ou a energia, para o futuro

  • Dê o exemplo

    Não adianta falar para o filho não ser um gastador, se o pai ou a mãe se comportar como um consumidor compulsivo. Só compre algo se for realmente necessário e não por impulso. Controle-se também

  • Cuidado com o shopping

    Não acostume seu filho a passear no shopping e sair de lá carregado de sacolas. Prefira lugares como parques, teatros, bibliotecas. Procure passeios gratuitos

  • Ir ao supermercado pode ser uma boa aula

    Ir ao supermercado com crianças normalmente não é recomendado. Mas, se o objetivo for uma aula de economia, pode ser uma boa ideia. Ensine a escolher os produtos em promoção e os alimentos de época, que são mais baratos. Vá com uma lista e não saia dela

  • Ensine a generosidade

    Doe o que não for mais necessário. Antes de épocas como Natal, aniversário ou Dia das Crianças, faça uma triagem nos brinquedos e roupas e encaminhe para doação

  • Ensine a cultura da prosperidade

    Ensine o filho a não acumular coisas desnecessárias, para abrir espaço para o novo. Ter medo do futuro é manter um pensamento de escassez. O pensamento deve ser de confiança e prosperidade

  • Dê tempo em vez de presentes

    As crianças não devem ser estimuladas a trocar a companhia dos pais por presentes. Sempre que puder, passe tempo com seu filho e ensine seus valores

  • Respeite o valor das coisas

    Dinheiro, comida, roupas, brinquedos, tudo deve ser respeitado. Não permita que seu filho seja displicente com as coisas que compra, como dar uma mordida em um chocolate e jogar fora, ou comprar um brinquedo e deixar encostado

  • Não diga que quem economiza é pão-duro

    Estimule o filho a guardar uma parte da mesada, para que, no futuro, ele também guarde uma parte do salário. Isso ensina a criança a economizar para realizar seus objetivos e não depender de empréstimos

  • Ensine a moderação

    Os recursos naturais do mundo são escassos. Ensine a consumir com moderação, para que seja possível ter "o suficiente, para todos, para sempre"

  • Guardar dinheiro é hábito

    Ajude seu filho a criar o hábito da poupança para a realização dos sonhos. A partir dos 3 anos, dê um porquinho para guardar as moedas. O cofrinho pode ser marcado com o cartaz "dinheiro para a compra do carrinho ou da boneca"

  • Cuidado com a escolha da escola

    Os filhos não devem ser colocados em escolas cujo padrão social dos alunos é muito superior ao da família. Das duas, uma: ou a criança estará quase sempre excluída de passeios e outras atividades, ou a família se verá tentada a gastar mais do que pode para manter esse nível

  • Estimule hábitos saudáveis na alimentação

    Ensine o filho a comer de tudo e dê preferência à comida caseira. Além de mais barata, é saudável. É possível envolver a criança na preparação de alimentos também

  • Ensine limites

    Seja firme no "não". Se não pode comprar, não aceite a birra do filho. Ele não vai poder se jogar no chão quando for um adulto e não tiver o que quer

  • Não gaste mais do que ganha

    Não acostume seu filho a um padrão acima do que pode pagar. A família toda deve viver com o que ganha, e não com recursos de empréstimos. No primeiro "não" que o filho receber, vai achar que o pai é um fracassado

  • Cartão de crédito não é dinheiro

    Os adolescentes devem aprender que o cartão de crédito não é dinheiro. Seu uso tem um custo e, se não houver dinheiro para pagar no fim do mês, haverá juros altos

Mauricio de Sousa tem quadrinhos para educação financeira

Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica, criou o personagem “Marcelinho, o Certinho” inspirado em seu filho caçula, que, segundo ele, já nasceu politicamente correto e econômico.

"Uma vez estávamos indo ao shopping e o Marcelo me criticou por olhar uma roupa de marca. Disse que na loja mais barata seria possível comprar dez blusas com aquele dinheiro."

O empresário criou também uma série de histórias em quadrinhos, em parceria com o SPC Brasil, para melhorar a educação financeira das crianças. "A Magali gasta muito em comida, mas o Cascão está na moda: economiza água", diz.

O Conefinho recebeu cerca de 600 crianças de 12 escolas e 130 pais e educadores.

Finanças pessoais