PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Finanças pessoais

Leia dicas e faça teste para ver se sabe administrar as finanças em família

Getty Images
Imagem: Getty Images

Sophia Camargo

Do UOL, em São Paulo

06/05/2015 06h00

Como sua família administra as finanças? O SPC Brasil elaborou um teste para avaliar se as famílias estão lidando bem com o dinheiro.

Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, as pessoas evitam conversar sobre dinheiro para não haver brigas em família, e só acabam revelando que estão endividadas quando a situação está muito complicada.

"Se a família sabe administrar o dinheiro no dia a dia fica mais fácil lidar com alguma eventualidade como desemprego, por exemplo", diz.

$escape.getHash()uolbr_quizEmbed('http://economia.uol.com.br/quiz/2015/05/05/teste-voce-sabe-administrar-o-dinheiro-em-familia.htm')

Segundo a economista Kawauti, há sintomas claros da desorganização das finanças numa família. São eles:

  • As pessoas não conversam sobre dinheiro
  • Ninguém sabe quanto o outro ganha
  • Ninguém sabe quanto o outro gasta
  • As contas pessoais são mantidas em segredo
  • A família gasta mais do que ganha

Tem solução?

Mesmo diante de uma situação dessas, é possível reverter o quadro e melhorar as finanças da família, afirma a economista. Ela explica que a primeira coisa a fazer é reunir todos para conversarem e compartilharem seus problemas.

"Se o marido gasta muito com o carro, e a mulher gasta muito com roupas, por exemplo, tudo deve ser dito com clareza, para que todos fiquem cientes da situação", diz. "Feito isso, é preciso decidir quais gastos serão cortados."

A partir daí, é preciso ter disciplina para que todos se comprometam a cumprir as decisões que farão com que a família passe a cortar os gastos.

“É preciso ter muita paciência, muita sinceridade para que os frutos podem ser colhidos.”

É preciso planejar tudo?

A economista diz que, sim, é preciso planejar tudo. "A família deve saber o que tem e onde deseja chegar. A partir daí, poderá decidir o que gastar e como."

Para facilitar, ela sugere juntar todas as rendas numa mesma conta, fazer as contas de quanto gasta com a casa, separar um valor a ser investido para os sonhos a serem realizados e, para não dar briga, separar um valor como se fosse uma mesada para o marido e a mulher, por exemplo.

"Sobre esse valor, marido e mulher não precisam dar satisfação um ao outro. É como se fosse um dinheiro para bobagens, mas tudo mantido dentro do orçamento”, diz.

Todos devem participar

As finanças da casa não devem ser discutidas apenas por marido e mulher, mas também por todos os participantes da família. Se há crianças e adolescentes, esses também devem ser envolvidos no orçamento familiar. "É muito melhor que as crianças sejam ensinadas a economizar e dar valor ao dinheiro desde pequenas, e não apenas se a família passar por um aperto financeiro."

PUBLICIDADE

Finanças pessoais