Bolsas

Câmbio

10 dicas para não voltar das férias com dívidas

Michelle Aisenberg

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • iStockphoto

Ao voltar de férias, além de fotos e lembranças, você também coleciona faturas de cartão de crédito e dívidas? Então, está na hora de começar a se planejar melhor.

Segundo o educador financeiro Álvaro Perciano, o ideal seria se preparar com pelo menos um ano de antecedência, tempo necessário para definir o orçamento e a programação desejada e ainda começar uma poupança.

A maioria das pessoas acaba não fazendo isso, age por impulso e depois tem que se virar para correr atrás do prejuízo.

O consultor dá algumas dicas para quem não fez o dever de casa, mas precisa distrair as crianças ou aproveitar alguns dias em família. Confira:

1 – Defina um orçamento

tomnamon/iStock

"Não é porque você não planejou com antecedência que vai sair gastando sem controle", diz Perciano. Avalie sua situação financeira e estipule um orçamento diário, que não deve ser ultrapassado.

2 – Envolva a família

Thinkstock

Se a situação financeira estiver difícil, reúna a família e explique que vocês vão precisar encontrar alternativas mais em conta para se divertir. Não deixe de incluir as crianças, para evitar frustrações de ambas as partes.

3 – Mantenha os pés no chão

Getty Images/iStockphoto/ismagilov

Se aquele destino tão sonhado não cabe no bolso agora, deixe-o para depois. Evite cair em tentações e tenha em mente as prioridades --por exemplo, pagar dívidas ou começar a juntar dinheiro para as férias dos sonhos.

4 – Escolha destinos perto de casa e viaje de carro

Getty Images

Passagens aéreas pesam no orçamento e podem inviabilizar qualquer viagem, principalmente na alta temporada. Uma opção é reunir a família e pegar a estrada, de preferência para um local não muito distante, para economizar com pedágios e combustível.

5 – Fique em casa e divirta-se

Ana Telma Furtado/Divulgação

Deixar de viajar não quer dizer deixar de se divertir. Reúna a família e procure programas gratuitos em sua cidade, como ir ao parque, andar de bicicleta, fazer um piquenique. Levar alimentos e bebidas de casa é mais uma forma de economizar com pequenas compras, que acabam pesando no orçamento.

6 – Cuidado com o cartão de crédito

Getty Images

Se, na ânsia de agradar os filhos, você costuma apelar para o cartão de crédito, é melhor deixá-lo em casa, guardado na gaveta.

A tentação de empurrar a dívida para o mês seguinte é grande, mas só vai criar um novo problema.

7 – Adicional de férias não é lucro

iStock/mustafahacalaki

Quem recebe os 30% adicionais de férias precisa ter sabedoria na hora de usar esse dinheiro. De acordo com o educador financeiro, a decisão sobre o destino dos recursos vai depender da saúde financeira da família. "Se houver dívidas, o melhor é quitá-las. Se a família não tem nenhum dinheiro guardado, talvez seja a hora de criar uma reserva", afirma.

8 – Guarde as lembranças na memória, em vez de comprá-las

Andrea Dallevo/UOL

Durante uma viagem, é comum as pessoas caírem na tentação de comprar lembrancinhas do local. Melhor guardar as recordações na memória e em fotos, e guardar o dinheiro para refeições ou passeios.

9 – Cuidado com a conta do telefone

iStock

Na empolgação de contar as novidades da viagem, algumas pessoas acabam estourando o limite do plano do celular ou pagando contas altíssimas por causa de ligações interurbanas. Aproveite a internet wi-fi do hotel para mandar mensagens ou fazer ligações. Elas não custam nada, ou muito pouco.

10 – Economize agora, para gastar depois

Getty Images

Um bom motivo para economizar nestas férias pode ser começar a se preparar para as próximas. Aproveite os dias em casa para definir o que a família gostaria de fazer e estabeleça metas.

Férias escolares podem custar até R$ 500 por semana para os pais

  •  

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos