Bolsas

Câmbio

Veja dicas para juntar dinheiro e tirar férias em janeiro por até R$ 1.000

Sophia Camargo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Getty Images/iStockphoto

Quer viajar nas férias, mas ainda não reservou nada e não deseja ficar endividado? O UOL ouviu especialistas para ajudar você a fazer uma viagem em janeiro de 2017, por menos de R$ 1.000, incluindo passagem aérea ida e volta e hotel. Dá até para ir ao exterior.

A pedido do UOL, três agências de viagens -CVC, Decolar.com e Submarino Viagens- sugeriram destinos por até R$ 998. Apesar de os pacotes poderem ser divididos em 10 ou 12 vezes, a ideia é pagar a viagem em três parcelas para poder começar 2017 sem novas dívidas.

Os valores vão de R$ 480, para Gramado (RS), a R$ 998 (Caldas Novas). Também há valores intermediários para lugares como Florianópolis (SC), Rio, Salvador (BA), Buenos Aires (Argentina) e Foz do Iguaçu (PR). Veja exemplos: 

  • Gramado (RS), três noites – R$ 480 (Decolar.com)
  • Florianópolis (SC), quatro noites – R$ 791 (Submarino Viagens)
  • Rio de Janeiro (RJ), quatro noites – R$ 898 (CVC)
  • Salvador (BA), seis noites – R$ 950 (Decolar.com)
  • Buenos Aires (Argentina), duas noites – R$ 980 (Decolar.com)
  • Foz do Iguaçu (PR), quatro noites – R$ 988 (Submarino Viagens)
  • Caldas Novas (GO), três noites – R$ 998 (CVC)

Os preços e disponibilidades foram pesquisados na quarta-feira, 16. Todos os pacotes estão sujeitos a alteração de preço, sem aviso prévio

Como conseguir dinheiro e pagar

Não importa para onde você vai, o negócio é conseguir uma sobra de dinheiro. Três especialistas deram dicas de como cortar gastos para quitar as parcelas de até R$ 333 por mês, caso opte por dividir em no máximo três vezes, como indicado.

São eles: André Crepaldi, planejador financeiro da Gaia Finanças Pessoais; Fábio Barbalho, da Consultoria Ponto C e José Vignoli, educador financeiro do SPC Brasil.

"Não há nada mais desagradável do que pagar por uma viagem que já foi", diz Vignoli. "O ideal é sempre planejar a viagem com antecedência, para quando voltar das férias, a única coisa que resta são as boas lembranças e as fotografias", diz.

Os gastos de uma viagem não são só a parcela paga para a agência, mas também incluem passeios, alimentação e outros gastos que André Crepaldi chama de "gastos fantasmas".

Ele sugere que, em uma viagem de R$ 1.000, a pessoa inclua mais R$ 500 para gastar com essas despesas. "É arriscado fazer uma compra por impulso de uma viagem por conta desses gastos fantasmas. O ideal é fazer um planejamento antecipado, economizando um pouco por mês para pagar a viagem à vista. Se não fez isso agora, programe-se para fazer já no próximo ano", diz.

Veja as dicas:

1) Faça o orçamento doméstico
Getty Images

Para saber quanto e onde pode economizar, é preciso primeiro saber tudo o que recebe e tudo o que gasta e quanto a parcela da viagem irá representar de seu orçamento mensal.

Se a pessoa gasta tudo o que ganha, vai acabar se endividando para viajar, o que não é o ideal. Por isso, é preciso cortar gastos para fazer sobrar o valor para pagar a parcela e pagar a fatura total do cartão em dia.

2) Corte pequenos gastos do dia a dia
Getty Images/iStockphoto

Como a viagem está próxima e não houve planejamento antecipado para já ter o dinheiro e pagar à vista, que seria o ideal, a solução para quitar as parcelas sem se endividar está no corte das pequenas despesas "invisíveis" do dia a dia, afirma Fábio Barbalho. Veja exemplos:

  • Se economizar R$ 15 com gastos com uma vitamina e um salgado todos os dias, por exemplo, durante 20 dias, já economiza R$ 300, que é quase a parcela inteira da viagem
  • Leve água de casa em vez de gastar R$ 3 todo dia comprando uma garrafa. Se economizar durante 20 dias, significam R$ 60 poupados em um mês – 18% da parcela de R$ 333
  • Deixe o carro em casa e vá de transporte público. Estacionamentos custam caro, especialmente a primeira hora. Em São Paulo, estacionamentos de shopping costumam partir de R$ 10. Se for almoçar no shopping em todos os dias úteis e considerar só o valor com estacionamento, por exemplo, vai gastar R$ 50 por semana ou R$ 200 por mês, mais da metade da parcela da viagem.

3) Corte despesas variáveis
Arte/UOL

Aproveite a ocasião para rever todos os gastos variáveis da casa: energia elétrica, água, telefone, plano de internet, telefone. É possível que esteja desperdiçando sem perceber. Reavalie se usa tudo o que paga.

4) Aproveite o 13º salário
Arte UOL

Se tiver a sorte de contar com 13º salário (só trabalhadores com carteira assinada recebem), aproveite e separe uma parte para ajudar a pagar a viagem.

Mas não se esqueça de reservar uma parte para pagar dívidas, se houver, e também guarde para as despesas do início de ano, que costumam ser elevadas, tais como IPTU, IPVA e despesas com material e matrícula escolar.

5) Cuidado com o happy hour
Shutterstock

Reveja o hábito de sair toda semana com amigos. Se economizar R$ 100 em uma balada, já terá assegurado quase um terço da parcela da viagem.

6) Natal econômico
Thinkstock

Viver sem dívidas é fazer escolhas e sacrifícios. Sendo assim, não queira comprar os melhores presentes de Natal do mundo para toda a família. Escolha cuidadosamente a quem presentear.

Pesquise preços e, se possível, compre com antecedência. Faça uma lista. Cuidado com presentes por impulso, aqueles que você resolve dar de última hora. Estipule um valor total para gastar e mantenha-se dentro dele.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos