Bolsas

Câmbio

O que acontece se deixar 18 crianças com dinheiro numa loja de brinquedos?

Téo Takar

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Alunos do Colégio Rodrigues Dias, em São Paulo, na loja de brinquedos

    Alunos do Colégio Rodrigues Dias, em São Paulo, na loja de brinquedos

Experimente deixar um grupo de crianças na faixa dos seis ou sete anos à vontade dentro de uma loja de brinquedos. E entregue dinheiro a elas para gastarem como quiser. Será que irão querer comprar a loja toda? Escolherão só os brinquedos caros?

Uma escola de São Paulo decidiu fazer o teste com 18 alunos do 1º ano do ensino fundamental. Mas é claro que a experiência não surgiu assim, do nada. A preparação começou meses antes, ainda na sala de aula.

Leia também:

Aprender a controlar o impulso consumista

Educar uma criança do ponto de vista financeiro não é simplesmente mostrar as notas de dinheiro, explicar o valor delas e ensinar a fazer contas de somar e subtrair. Educação financeira também vai além do conceito do que é caro ou barato.

"Nós trabalhamos em cima de um projeto de conscientização financeira. Fazemos a criança entender qual é a necessidade real dela", diz a professora Denise dos Santos Ruiz, responsável pela classe do 1º ano fundamental do colégio Rodrigues Dias, que fica na Vila das Mercês, na zona sul de São Paulo.

Ela precisa ter cinco brinquedos iguais, por exemplo? O primeiro passo é justamente ajudar a criança a entender do que ela realmente necessita, o que é útil para ela. Com isso, ela aprende a controlar o impulso consumista.

Denise dos Santos Ruiz, professora

Os pequenos aprenderam a lidar com o dinheiro e, principalmente, a se planejar e poupar para conseguir alcançar um sonho. Veja qual foi o resultado dessa experiência de educação financeira.

Definir sonhos, planejar e poupar

Sonhar não custa nada, mas realizar um sonho requer esforço e planejamento. É isso que as crianças que participaram dessa experiência aprenderam nos últimos meses.

"Há diversos tipos de sonho. Pode ser individual, familiar ou coletivo. Pode ser rápido de conquistar, como comprar um brinquedo, ou pode demandar tempo, como trocar de casa", diz a professora da turma.

"Em junho deste ano definimos um sonho coletivo, da nossa classe. Cada aluno iria economizar um pouquinho para, no fim do ano, irmos fazer compras numa loja de brinquedos. Estabelecemos como meta que cada um iria juntar R$ 35", relata Denise.

A partir daí, cada criança planejou um jeito de economizar. "Guardar uma parte da mesada, juntar as moedas que o pai ou a mãe largam em casa, tomar banho mais curto para ajudar a diminuir a conta de luz. Cada um traçou o seu plano, com ajuda da família", diz a professora.

As crianças têm muitos desejos e sonhos. Com a educação financeira, elas aprendem que é possível conquistar cada um deles com planejamento e paciência, poupando ao longo do tempo.

Reinaldo Domingos, presidente da DSOP Educação Financeira

Ele é responsável pela metodologia de ensino que foi adotada pela escola.

Crianças 'racharam' os R$ 150 do ônibus
Divulgação
Crianças na loja de brinquedos para aprender como poupar

O tão aguardado dia de ir à loja de brinquedos chegou. No dia 10 deste mês, eles foram à loja Armarinhos Fernando, no Ipiranga, zona sul de São Paulo.

Alguns alunos conseguiram juntar até mais que os R$ 35 estipulados pela turma em junho. "O combinado foi gastar até R$ 35. Então, quem juntou mais guardou a diferença para usar em outro sonho", diz a professora.

As crianças também tiveram que incluir no planejamento do sonho o gasto para chegar até a loja de brinquedos. "Alugamos um ônibus para as 18 crianças, por R$ 150. Então, cada uma teve que descontar R$ 8 do que juntou para pagar o transporte."

Alguns decidiram continuar poupando até o Natal

Com o dinheiro que sobrou em mãos, a criançada percorreu os corredores da loja. Diante da imensidão de opções de brinquedos, perceberam que muitos custavam mais do que elas tinham para gastar. Era preciso fazer escolhas. Mas qual era a melhor?

A melhor escolha depende muito de cada um, de cada sonho. Alguns alunos acharam melhor simplesmente não gastar e continuar poupando para comprar um brinquedo mais caro no Natal ou no ano que vem. Mas a maioria acabou encontrando várias coisinhas baratas, que cabiam no orçamento. Conseguiram sair da loja com mais de um presente.

Denise dos Santos Ruiz, professora

Treinamento de professor e apoio da família

O projeto desenvolvido pela DSOP Educação Financeira está presente em mais de 2.000 escolas do Brasil. A entidade treina professores para ensinar os conceitos a alunos de diversas faixas etárias e também oferece material de apoio (cartilha e aulas em vídeo) para ajudar os pais dessas crianças.

"O sucesso da educação financeira depende de um tripé formado por aluno, professor e família. Preparamos o professor, até porque a maioria não aprendeu os conceitos de educação financeira quando estava na escola ou na faculdade. E enviamos um 'kit família' aos pais das crianças, com material de orientação sobre finanças, para que eles também possam ajudar na educação financeira dos filhos", relata a diretora pedagógica da DSOP, Ana Rosa Vilches.

Mais informações:

DSOP Educação Financeira - http://www.dsop.com.br/grupo-dsop-educacao-financeira/

Se não sabe responder a estas 5 questões, será muito difícil ficar rico

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos