PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Finanças pessoais

Dólar já subiu 31% no ano, mas ainda dá para investir na moeda americana?

João José Oliveira

do UOL, em São Paulo

18/06/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Dólar acumula alta de quase 35% em 2020, um dos melhores desempenhos entre ativos que investidores brasileiros podem aplicar
  • Ambiente econômico ainda de muita incerteza, o dólar é considerado um porto seguro
  • Gestores de recursos destacam que aplicar em dólar deve ser visto como uma forma de proteção

O dólar já subiu 31% no ano em relação ao real, um dos melhores desempenhos entre investimentos -apesar de não ser recomendado para esse fim. Mas será que ainda vale a pena comprar na alta para tentar ganhar algum dinheiro?.

Especialistas destacam que aplicar em dólar é uma forma de proteção, e não uma aposta para ganhar dinheiro —em especial, no curto prazo. Mas apontam que o ambiente de incerteza justifica ter uma fatia (pequena) de seus investimentos na moeda americana ou em algo equivalente.

Os Estados Unidos devem sair da crise mais rapidamente que outros países, inclusive em relação ao Brasil. Esse é um dos motivos pelos quais devemos ter um dólar forte por algum tempo.
Rodrigo Franchini, sócio da plataforma de consultoria financeira Monte Bravo

Segundo ele, o ambiente econômico ainda é de muita incerteza, e o dólar é considerado um porto seguro.

O risco é se desvalorizar

Os consultores afirmam que a moeda americana pode se valorizar em relação ao real, mas também pode passar por ajustes, ainda mais depois de um período em que acumulou forte valorização. Eles citam, por exemplo, o mês do maio, quando o dólar chegou a encostar em R$ 5,90, antes de recuar.

Por isso, alertam, ativos dolarizados devem compor a carteira de investimentos de forma moderada.

Investimentos em dólar não devem fazer parte jamais, por exemplo, daquela fatia da reserva de emergência.
Renan Lima, consultor financeiro da Planejar

Quanto aplicar?

Depende do perfil de cada um. Conservadores devem investir menos: até 10% do total de sua carteira de aplicações.

Quem tem mais sobra ou precisa de dólar (para fazer curso no exterior ou comprar equipamentos importados) pode aplicar mais: até 17%.

As sugestões de percentuais são do responsável pela mesa institucional da Genial Investimentos, Roberto Motta.

Onde investir em dólar?

Comprar a moeda não é a única forma. Há várias aplicações que acompanham o comportamento do dólar:

Fundos de investimento cambial: Aplicam até 80% do patrimônio em contratos de dólar e outros ativos relacionados à moeda, como ouro, negociados na Bolsa.

Ações de empresas americanas: É possível comprar ações de empresas dos EUA negociadas na Bolsa brasileira por BDRs (Brazilian Depositary Receipts). São títulos que representam papéis de companhias americanas. Basta abrir conta em uma corretora.

Exchange Traded Fund (ETF): Os ETFs são fundos que investem em índices de ações de Bolsas. Há índices que representam uma média do desempenho de Bolsas no exterior, como o S&P 500, na Bolsa de Nova York. Precisa ter conta em corretora no Brasil.

Ouro: Como o ouro é cotado no mercado internacional em dólar, ao aplicar em ouro, seja comprando o metal físico, seja investindo em fundos de investimento, a pessoa está, na verdade, adquirindo um ativo que acompanha a cotação da moeda americana.

Quando comprar?

Não precisa de pressa nem tentar acertar o melhor dia para comprar, pois a instabilidade é muito grande, variando mais de 1% em um único dia.

A dica é comprar aos poucos. Assim, tem uma cotação média de um determinado período (alguns dias comprará mais caro, em outros, conseguirá mais barato).

Finanças pessoais