PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Uma dificuldade abriu meus olhos para investir e pode abrir os seus

Conteúdo exclusivo para assinantes
Gabriela Mosmann

Gabriela Mosmann

É mestre em finanças e analista de investimentos CNPI na casa de análises @SunoResearch

29/03/2021 04h00

Se apresentar nunca é fácil, por mais simples que possa ser é muito desafiador condensar toda uma carreira em poucas palavras. Algumas informações são tão óbvias que podem parecer irrelevantes, mas, na realidade, são de grande interesse do leitor. Já outras são desconhecidas até por nós mesmos, e descobertas apenas em momentos de reflexão como esses - em que colocamos no papel nossa trajetória.

A vida é um processo de aprendizado constante e isso é o que torna a apresentação algo complexo. Ela nunca será igual, pois estamos sempre em transformação. Ao longo dessa coluna desejo participar da mudança em conjunto com você, caro leitor, para trilharmos um caminho de novos conhecimentos.

Vamos então às informações básicas. Meu nome é Gabriela Mosmann e o prazer é todo meu em conhecer vocês. Sou economista, trabalho como analista de investimentos, tenho um mestrado em finanças e sou professora sobre o assunto.

Olhando meu currículo, muitos vão pensar que sempre quis seguir essa carreira e estudar sobre dinheiro, o que tornaria ele um assunto simples no meu dia a dia. Entretanto, não é verdade. Entrei nesse universo por necessidade, e gostaria de contar para vocês um pouco dessa trajetória.

Nasci e cresci em uma família de classe média. Isso significa que, quando criança e adolescente, minha vida sempre foi maravilhosa. Muitos luxos estavam longe da minha realidade, mas conquistar muitos sonhos e objetivos dependiam só de mim.

Porém, em 2008, as coisas mudaram bastante. O mundo viveu uma crise financeira gigantesca. Não sei se muitos de vocês vão lembrar. Afetou muita gente. Inclusive, minha família: nosso negócio acabou falindo, o que nos gerou muitas dificuldades.

Isso fez com que nossa vida mudasse muito, e de uma forma muito forçada. Tive que ficar muito tempo sem comprar coisas novas, como roupas e sapatos. Foi preciso aprender a reaproveitar os objetos. Em vez de sair para comer, por exemplo, foi necessário comer mais em casa. O objetivo era economizar o máximo possível.

Durante o período, me reinventei, busquei formas de adquirir o que precisava de forma mais barata ou mesmo gratuita. Estudei para entrar em uma universidade federal e desde então sempre fui uma pessoa mais autodidata, tendo a internet como minha maior aliada para aprender o que desejasse. A partir do meu primeiro salário, percebi uma oportunidade para investir, um universo que logo se tornou uma paixão.

Ter passado por esse período me transformou. Percebi melhor o valor do dinheiro e mudei hábitos. Também me fez querer cuidar melhor daquilo que eu ganhava no estágio da faculdade. Afinal, o valor vinha com muita dificuldade, esforço e trabalho duro. Isso me motivou também a aprender mais sobre investimentos.

Digo sem medo que educação financeira mudou a minha vida: conquistei muitas coisas e viajei por diversos lugares. Tenho estabilidade financeira que me permitiu trocar de emprego quando quis. E são essas lições que aprendi que quero compartilhar com vocês aqui. Pode parecer difícil lidar com dinheiro, mas dá para aprender. E sem precisar passar por mais uma crise financeira mundial.

A minha história e meu interesse por finanças se misturam. Difícil falar sobre quem sou, o que eu faço ou até mesmo sobre a importância do conhecimento financeiro sem acabar mesclando os assuntos. O lado bom é que uma história real, cheia de exemplos, deixa qualquer assunto mais interessante.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL