PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gerdau anuncia resultados, distribuição de proventos e recompra de ações

Veja uma análise completa sobre Gerdau: balanço, perspectivas e o que é a recompra de ações na prática - Divulgação/Gerdau
Veja uma análise completa sobre Gerdau: balanço, perspectivas e o que é a recompra de ações na prática Imagem: Divulgação/Gerdau
Conteúdo exclusivo para assinantes

Research do PagBank

05/05/2022 16h00

Gerdau (GGBR4) registrou crescimento de 19% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 2,9 bilhões.

Segundo a companhia, esse resultado reflete a sua melhora operacional, com elevações de 35% em sua geração de caixa operacional, medida pelo Ebitda (lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização) — refletindo os maiores preços do aço principalmente na América do Norte.

Resultados do primeiro trimestre

Neste primeiro trimestre de 2022, a empresa comercializou 544 mil toneladas de minério de ferro para terceiros e 305 mil toneladas foram utilizadas para consumo interno.

No período em análise, a produção de aço bruto apresentou elevação de 8%. No entanto, as vendas caíram 1% em relação ao mesmo período de 2021.

Por outro lado, os preços mais altos do aço contribuíram para uma melhora em seu faturamento, apresentando, no primeiro trimestre deste ano, elevação de 24%, para R$ 20,3 bilhões.

No resultado, aconteceram também elevações nos preços do carvão metalúrgico (150%), do minério de ferro (19%) e da sucata (12%) em relação ao mesmo período de 2021.

Como isso se reflete nas ações

As ações da Gerdau (GGBR4) operavam em baixa na manhã desta quinta-feira (5). Por volta das 12h (horário de Brasília), os papéis recuavam 2,70%, cotados a R$ 26,60 cada. O preço foi bastante influenciado pela piora do cenário externo e pela forte queda no índice Ibovespa, neutralizando o desempenho positivo de seu resultado.

Às 15h16 as ações apresentavam uma reviravolta: alta de 1,06%, negociadas a R$ 27,70 cada.

Perspectivas

Além de seu resultado, a Gerdau (GGBR4) reiterou sua perspectiva positiva para o ano de 2022. De acordo com a própria empresa, a demanda nos setores de construção, máquinas e equipamentos, agrícolas, energia e infraestrutura continuam saudáveis, apesar de o cenário de elevação de juros e conflitos internacionais.

Para suas operações da América do Norte, as perspectivas são de demanda positiva para os segmentos de construção e distribuição. Enquanto para a infraestrutura, por conta dos projetos de investimentos do governo americano, a Gerdau tenderá a ser favorecida.

A companhia ainda pontuou que as tensões geopolíticas, dado o conflito entre Rússia e Ucrânia começaram, a serem sentidas de forma mais incisiva em meados de março, ocorrendo forte volatilidade e aumento nos preços das matérias-primas, afetando os custos de produção.

No entanto, sua operação não vem sendo afetada por eventuais interrupções de matéria-prima e de insumos.

Quanto ao agravamento do coronavírus na China, que vem promovendo lockdown no país asiático, os efeitos ainda não estão sendo sentidos — mas a companhia vem monitorando.

JCP e recompra de ações

A Gerdau também anunciou a distribuição de proventos. Serão R$ 973,5 milhões em Juros sobre Capital Próprio (JCP) ou R$ 0,484 por ação a serem distribuídos aos acionistas, já líquidos de imposto. O pagamento será feito no dia 25 deste mês, com as ações ex-JCP em 16 de maio.

Já para os acionistas da Metalúrgica Gerdau (GOAU4), serão creditados JCP no valor de R$ 0,17 por ação — já líquidos de imposto — e dividendos de R$ 0,09 por papel. O pagamento ocorrerá no próximo dia 26, com base nas posições dos investidores em 16 de maio de 2022.

A empresa também aprovou um programa de recompra de ações, em que serão adquiridas até 69 milhões de ações preferenciais ou o equivalente a 10% dos papéis em circulação. O prazo para a conclusão do programa de recompra é de 18 meses (um ano e meio).

O que é recompra de ação?

Vale destacar que recompra de ações é um método em que a empresa compra suas ações no mercado para mantê-las em tesouraria ou cancelá-las.

Em geral, o que motiva as empresas a recomprar ações é a constatação de que o valor de mercado dos papéis está exageradamente depreciado, diante do preço que consideram justo.

Nesse momento, pagar barato pela compra das próprias ações pode fazer sentido por vários motivos.

PUBLICIDADE

As opiniões emitidas neste texto são de responsabilidade exclusiva da equipe de Research do PagBank e elaboradas por analistas certificados. O PagBank PagSeguro e a Redação do UOL não têm nenhuma responsabilidade por tais opiniões. A única intenção é fornecer informações sobre o mercado e produtos financeiros, baseadas em dados de conhecimento público, conforme fontes devidamente indicadas, de modo que não representam nenhum compromisso e/ou recomendação de negócios por parte do UOL. As informações fornecidas por terceiros e/ou profissionais convidados não expressam a opinião do UOL, nem de quaisquer empresas de seu grupo, não se responsabilizando o UOL pela sua veracidade ou exatidão. Os produtos de investimentos mencionados neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão preencher o questionário de suitability para a identificação do seu perfil de investidor e da compatibilidade do produto de investimento escolhido. As informações aqui veiculadas não devem ser consideradas como a única fonte para o processo decisório do investidor, sendo recomendável que este busque orientação independente e leia atentamente os materiais técnicos relativos a cada produto. As projeções e preços apresentados estão sujeitos a variações e podem impactar os portfolios de investimento, causando perdas aos investidores. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros. Este conteúdo não deve ser reproduzido no todo ou em parte, redistribuído ou transmitido para qualquer outra pessoa sem o consentimento prévio do UOL.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL