PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

3 investimentos seguros que rendem acima da inflação

Conteúdo exclusivo para assinantes
Sílvio Crespo

Sílvio Crespo é sócio do Grana, aplicativo que automatiza o IR de investimentos na Bolsa. Como jornalista de economia, ganhou diversos prêmios, inclusive o de melhor blog de economia do Brasil, concedido pela Case New Holland, pelo antigo blog Achados Econômicos, no UOL. Paralelamente, hoje cursa psicologia na USP.

11/11/2021 19h24

A inflação acumulada nos últimos 12 meses ficou em torno de 10% ao ano, enquanto a poupança rendeu 1,9%, os fundos de renda fixa variaram de 2% a 7%, e o Tesouro Selic, 3,3%.

Ou seja, quem escolheu algum desses investimentos no passado recente está perdendo poder de compra.

Em resposta a um leitor da minha coluna, montei uma lista com três tipos de aplicações financeiras de baixo risco que garantem um rendimento acima da inflação.

Tesouro Direto

Os títulos do Tesouro podem ser usados para se proteger da inflação, mas não é qualquer título. O nome do papel para esta finalidade é Tesouro IPCA+.

Mas é fundamental verificar quando é o vencimento do título. Se você resolver se desfazer dele antes dessa data, não terá garantia de um rendimento acima da inflação. Pode acontecer de ser maior ou menor.

Hoje, o Tesouro IPCA+ com vencimento em 2026 está oferecendo um rendimento de IPCA mais 5,19% ao ano.

Nesse caso, se a inflação média ficar em 7% ao ano até 2026, você terá um rendimento anual em torno de 12%.

Já o Tesouro IPCA+ com vencimento em 2040 rende IPCA + 5,21% ao ano. Isso quer dizer que você teria que esperar

CDB

Existem diversos tipos de CDB. Para ficar acima da inflação, é preciso que o CDB seja indexado ao IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

Atualmente, você encontra CDBs com rendimento de IPCA mais 5% nas seguintes corretoras:

  • Nu Invest, Rico e XP: IPCA + 5,8%
  • Pine Online: 5,71%
  • ModalMais: IPCA + 5,7%
  • Ativa: IPCA + 5,55%
  • Nova Futura: IPCA + 5,3%

Esta não é uma pesquisa exaustiva. É possível que você encontre taxas semelhantes em outras corretoras ou mesmo nos grandes bancos.

LCA e LCI

A terceira opção de investimento seguro que rende acima da inflação são as chamadas letras de crédito. Existem as LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio) e LCIs (Imobiliárias).

Atualmente, é possível encontrar LCAs com rendimento de IPCA mais 3,96%, como é o caso de uma disponível pela corretora do BTG Pactual, com vencimento em cinco anos.

Os CDBs em geral apresentam uma taxa de rendimento maior que isso, como você pode ver na lista acima. Mas sobre eles há Imposto de Renda, enquanto as LCAs e LCIs são isentas. Em geral, quando se desconta o IR, os melhores CDBs acabam tendo um retorno líquido semelhante ao das letras de crédito.

Qual é a desvantagem?

No mercado financeiro, se algum investimento rende muito mais do que o outro, ele necessariamente apresenta algum tipo de desvantagem, ou em termos de risco, ou em termos de prazo.

Esses três tipos de investimento que eu apresentei acima rendem bem mais do que a poupança, do que os fundos de renda fixa e do que o Tesouro Selic.

O principal motivo é que todos eles requerem que você espere até uma certa data de vencimento para poder resgatar o dinheiro com a rentabilidade prevista.

Como escolher?

Considerando as vantagens e desvantagens, pode ser você fique em dúvida na hora de escolher, então eu vou contar como eu faço.

Eu deixo fundos de renda fixa uma quantia suficiente para as necessidades do dia a dia. Poderia estar em poupança ou em Tesouro Selic. Mas como é um dinheiro de prazo muito curto, não faz tanta diferença.

A ideia aqui é praticidade: poder movimentar rapidamente para a conta corrente se necessário.

Ao mesmo tempo, eu deixo a maior parte da minha reserva de emergência, como contei anteriormente, em CDBs indexados ao IPCA.

Essa parcela das minhas aplicações, se eu precisar resgatar antes do vencimento, perderá uma parte da rentabilidade. Mas ainda assim eu prefiro, pois se deixar nas outras a perda para a inflação é praticamente certa.

Ficou alguma dúvida?

Este texto foi escrito com base na pergunta de um leitor da minha coluna. Se você tem dúvidas sobre investimentos, envie para o e-mail silvio.crespo@gmail.com. Sua pergunta pode ser respondida futuramente neste espaço.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL