PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Assaí, Bradesco e XP: qual deve ser o impacto dos resultados nas ações

Assaí Atacadista: antigo braço de atacado do Grupo Pão de Açúcar trouxe resultados consistentes - Divulgação
Assaí Atacadista: antigo braço de atacado do Grupo Pão de Açúcar trouxe resultados consistentes Imagem: Divulgação
Exclusivo para assinantes UOL

Felipe Bevilacqua

05/05/2021 08h41

No Investigando o Mercado de hoje vamos conversar sobre os resultados apresentados ontem (4) pelo Assaí (ASAI3), pelo Bradesco (BBDC4) e pela XP Inc (XP), que, apesar de não ainda não ser negociada no Brasil, deve lançar suas BDRs este ano.

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

ASSAÍ (ASAI3): modelo de expansão mostra resultados

O Assaí, antigo braço de atacado do Grupo Pão de Açúcar, trouxe resultados consistentes. Foi capaz de dobrar o lucro líquido em relação ao obtido no mesmo período do ano passado, com estratégia de expansão de lojas e melhoria de margens por meio do ganho de escala. A receita líquida cresceu 21% na comparação anual. Destes, 11,4% foram de vendas em lojas abertas há mais de um ano (Same Store Sales - SSS).

O lucro líquido alcançou R$ 240 milhões, contra R$ 113 milhões, com margem robusta de 2,5%. O resultado foi possível pela melhora na margem bruta (0,4 pontos percentuais), no resultado financeiro com redução no custo de dívidas e na rentabilidade do caixa, com forte geração de caixa operacional no período.

A geração de caixa operacional permite financiar as expansões da companhia com capital próprio em ritmo acelerado com tranquilidade, além de possuir liquidez suficiente para cumprir com as obrigações. Os resultados vieram fortes, apesar da pandemia. A rentabilidade crescente e a maturação das lojas (evidenciado pelo indicador SSS) mostra a efetividade do modelo de expansão.

Bradesco (BBDC4): Resultados alinhados com as expectativas

O resultado do Banco Bradesco (BBDC4) veio alinhado com as expectativas em termos de lucro líquido, continuando as tendências de recuperação pós-pandemia observadas ao longo de 2020.

O lucro líquido recorrente foi de R$ 6,5 bilhões, queda de 4,2% quando comparado com o 4T20, e crescimento de 73,6% com relação ao 1T20. O crescimento anual de lucro impulsionou o retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) a patamares próximos aos vistos em 2019, atingindo 18,7% no trimestre. A margem financeira, diferença entre os juros cobrados nos empréstimos realizados pelo banco e os juros pagos pelo banco em suas captações, apresentou crescimento de 7,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 15,6 bilhões no trimestre. Na comparação com o 4T20, a linha apresentou queda de 6,5%.

As provisões para devedores duvidosos expandida (PDD), que derrubaram o lucro dos bancos em 2020, atingiram R$ 3,9 bilhões, representando queda de 14,5% em relação ao último trimestre e de 41,8% em relação ao primeiro trimestre de 2020. A inadimplência acima de 90 dias piorou 0,3 ponto percentual quando comparada ao trimestre passado, chegando a 2,5%.

Os principais catalisadores para as ações do Bradesco (BBDC4), na nossa visão, são a melhora estrutural da economia brasileira e novos desenvolvimentos quanto a um possível IPO do Next, banco digital de varejo da companhia.

XP Inc (XP): Crescimento de 104% no lucro líquido

Apesar de ter apresentado sua prévia operacional, o que deveria tornar os resultados mais previsíveis, A XP Inc (XP) surpreendeu ontem com números acima das expectativas. Entre os destaques estão o crescimento de 51% na receita líquida em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, atingindo R$ 2,6 bilhões no primeiro trimestre de 2021, e o crescimento de 104% por cento no lucro líquido do trimestre em relação ao mesmo período de 2020.

Esse número foi alavancado por uma alíquota de imposto baixa (6,4%) devido a benefícios tributários do caixa da companhia levantado no IPO, e outros efeitos contábeis relacionados com o reconhecimento de receitas financeiras. Os números apresentados foram bons. Levando em consideração as iniciativas para o futuro, divulgadas na teleconferência de resultado, acreditamos em impacto positivo no preço das ações (XP na Nasdaq) no curto prazo.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.