PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Pão de Açúcar e Mercado Livre: o que esperar das ações hoje

Exclusivo para assinantes UOL

Felipe Bevilacqua

06/05/2021 08h48

Hoje vamos analisar os resultados apresentados ontem (05/05), após o fechamento do mercado, pelo Pão de Açúcar (PCAR3) e pelo Mercado Livre (MELI: NASDAQ/MELI34).

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

GRUPO PÃO DE AÇÚCAR: resultados fracos no Brasil

O Grupo Pão de Açúcar (PCAR3) apresentou resultados fracos na operação do Brasil, devido principalmente ao fim do auxílio emergencial e às restrições impostas pela pandemia. Os dados, porém, foram compensados pelo forte resultado do grupo Éxito, sua operação na América Latina.

A receita e o lucro bruto cresceram de maneira tímida, com expansão de 4,8% na receita líquida total, alcançando R$ 13,7 bilhões no consolidado. O GPA Brasil teve retração na receita líquida em 2,9%. O Éxito, porém, cresceu 15,1%.

Em termos de margem bruta, um dos principais indicadores do varejo alimentar, houve expansão tanto no GPA Brasil quanto no Éxito. A margem bruta consolidada saiu de 24,8% há um ano para 26,1%. Um ganho importante, que permitiu crescimento de lucro bruto de 10,3%, chegando a R$ 3,25 bilhões. A linha que preocupa é a de lucro líquido, um dos pontos mais sensíveis do setor. No consolidado, atingiu de R$ 127 milhões, com margem tímida de 0,9%.

Esperamos reação levemente negativa no curto prazo para as ações PCAR3. A boa prévia operacional apresentada pelo Carrefour e os resultados sólidos do Assaí (ASAI3) haviam gerado expectativas altas para o setor. Os dados do GPA, porém, demonstram que a empresa ainda está em processo de melhoria de margens, o que pode decepcionar parte do mercado.

MERCADO LIVRE: Surpresas positivas

O Mercado Livre, uma das maiores plataformas de e-commerce da América Latina, trouxe surpresas positivas. A evolução nos indicadores operacionais foi forte, na comparação ano contra ano, impulsionando receita e lucro bruto. Mesmo com margens menores no primeiro trimestre do ano, os resultados ficaram acima das expectativas do mercado.

Nos principais indicadores operacionais, o GMV (total de vendas transacionadas) alcançou US$ 6,06 bilhões, cerca de 77,4% de crescimento, com forte avanço via aparelho móvel (215,7%), já representando 72,9% do GMV total. O número de usuários ativos únicos (que realizaram uma transação ou interação na plataforma no período) alcançou 69,8 milhões, um crescimento de 61,6%. As transações processadas via Mercado Pago cresceram 81,8%, alcançando US$ 14,7 bilhões.

A receita líquida total foi de US$ 1,38 bilhão, um crescimento de mais de 100% na comparação anual, com destaque para a expansão de 143% no México, maior crescimento anual. Por fim, a companhia apresentou prejuízo líquido de US$ 34 milhões de dólares no período, mas isso ocorreu em função da recompra de uma dívida com vencimento em 2028, de US$ 49,2 milhões. Sem esse efeito não recorrente, teria apresentado lucro de US$ 15 milhões. Tímido, mas ainda assim no campo positivo.

Os números devem desencadear reação positiva nas ações do Mercado Livre (MELI: NASDAQ / MELI34) no curto prazo. A possível alta na BDR (MELI34), porém, pode ser limitada pelo movimento de queda do dólar

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL