PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Petrobras, JBS e BRF: ações que podem movimentar o mercado hoje

BRF: JBS estaria estudando a possibilidade de comprar a dona da Sadia e Perdigão para dificultar o avanço da Marfrig - Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo
BRF: JBS estaria estudando a possibilidade de comprar a dona da Sadia e Perdigão para dificultar o avanço da Marfrig Imagem: Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo
Exclusivo para assinantes UOL

Felipe Bevilacqua

14/06/2021 08h36

No Investigando o Mercado de hoje, vamos conversar sobre a venda da participação da Petrobras (PETR4) na Petrobras Distribuidora (BRDT3) e sobre a possibilidade de compra da BRF pela JBS, ventilada no final de semana.

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Petrobras: desinvestimentos vão bem, mas as incertezas voltam à mesa

Na sexta-feira (11), a Petrobras (PETR4) anunciou por meio de fato relevante que solicitou à Petrobras Distribuidora (BRDT3) a realização de Oferta Secundária de Ações para vender sua participação de 37,50% na empresa.

No sábado (12), a Petrobras anunciou redução no preço da gasolina de 2%. A medida vai contra o movimento do barril de petróleo nos últimos dias, que vem se valorizando conforme as economias reabrem e aumentam a demanda pela commodity.

A venda de participação na BRDT3, que deve gerar R$ 11,5 bilhões, indica que, mesmo após a troca de comando, a companhia continua focada em melhorar a alocação de capital no seu principal negócio: a exploração de petróleo no pré-sal.

A redução do preço dos combustíveis, entretanto, mostra que a atual política de preços da companhia não é clara. Essa falta de clareza cria incerteza por parte dos investidores e pressiona a cotação das ações da empresa.

A Petrobras (PETR4) vive um momento operacional muito bom com a maturação de seus investimentos no pré-sal e a venda de operações em campos com custo de exploração elevado. A venda de ativos não estratégicos possibilitou a redução considerável da dívida bruta, melhorando a alocação de capital, o que deve possibilitar que a empresa cumpra a política de dividendos com maior distribuição nos próximos 12 meses.

Desde a troca no comando da estatal, porém, a política de preços dos combustíveis é uma incógnita. Isso tem pressionado as cotações e criado incertezas quando investidores e analistas fazem suas contas.

JBS: No páreo pela BRF?

Na sexta (11), veículos de imprensa divulgaram que a JBS (JBSS3) estaria estudando a possibilidade de comprar a BRF (BRFS3).

A princípio, a notícia parecia sem sentido. Hoje a JBS dificilmente teria aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a aquisição da BRF. A soma da participação das marcas Sadia e Perdigão, da BRF, à marca Seara, pertencente à JBS, geraria uma concentração de mercado relevante.

Mais informações, porém, vieram à tona. O BTG estaria sondando players de mercado para realizar a aquisição da BRF em conjunto com a JBS, o que diminuiria a concentração. Outra possibilidade seria adquirir as marcas da BRF e se desfazer da Seara.

Ainda não acredito que faça sentido. A JBS vem investindo forte para expandir sua participação no mercado de proteínas de frango e processados por meio da marca Seara. A possibilidade de troca, portanto, parece descartada.

O único fator que justificaria esse movimento é a concorrência. A Marfrig (MRFG3) adquiriu participação relevante na BRF no último mês e hoje é a maior acionista, com 31% do capital. A intenção de compra pela JBS pode ser uma estratégia para dificultar a aquisição do controle da BRF por uma de suas concorrentes.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL