PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Cyrela, B3 e Totvs: 3 empresas em crescimento para ficar de olho

Cyrela: com retomada de lançamentos, ações podem ter alta no curto prazo - mr_Prof/iStock
Cyrela: com retomada de lançamentos, ações podem ter alta no curto prazo Imagem: mr_Prof/iStock
Exclusivo para assinantes UOL

Felipe Bevilacqua

13/07/2021 08h44

No Investigando o Mercado de hoje, vamos conversar sobre a forte prévia operacional do segundo trimestre apresentada pela Cyrela (CYRE3) e o acordo de investimentos firmado entre a B3 (B3SA3) e a Totvs (TOTS).

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Prévia operacional da Cyrela mostram mercado aquecido

A Cyrela (CYRE3), incorporadora e construtora de imóveis residenciais, divulgou sua prévia operacional do segundo trimestre de 2021 ontem (12), após o fechamento do mercado. Os resultados demonstram um reaquecimento no setor imobiliário após um adiamento de vendas no primeiro trimestre do ano, afetado pela segunda onda da pandemia.

A companhia lançou 19 empreendimentos no segundo trimestre, ante apenas três lançamentos no mesmo período de 2020.

O Valor Geral de Vendas (VGV) registrou R$ 1,93 bilhão no trimestre, um aumento de 659% em relação ao mesmo período de 2020. Desse total, R$ 1,2 bilhão vieram de empreendimentos de alto padrão, representando 62% do total. Os empreendimentos de médio padrão geraram de R$ 229 milhões (12% do total) e o programa CVA (Casa Verde Amarela, antigo programa Minha Casa Minha Vida) gerou R$ 513 milhões (26%).

As vendas líquidas contratadas da companhia foram de R$ 1,56 bilhão, alta de 204% em relação ao mesmo período de 2020 e de 51% em relação ao primeiro trimestre deste ano. Desse total, cerca de 15% se referem à venda de estoque pronto, 35% à venda de estoque em construção e 50% à venda de lançamentos, atingindo velocidade de vendas de lançamentos de 40,2%.

É bom ressaltar que o salto nas vendas e lançamentos da Cyrela se deve principalmente a uma base de comparação muito fraca (2T20), no pior momento da pandemia. De qualquer forma, o setor imobiliário como um todo está em reaquecimento. Com isso, esperamos reação positiva das ações no curto prazo.

Entretanto, a expectativa do aumento da taxa de juros ainda em 2021 atinge o setor de construção civil. Além disso, os possíveis e ainda incertos impactos da reforma tributária, que podem elevar a alíquota paga pelas empresas do setor, trazem um cenário mais pessimista para o segundo semestre.

B3 compra fatia de subsidiária da Totvs

A B3 (B3SA3) e a Totvs (TOTS3) anunciaram parceria ontem (12), com um aporte de R$ 600 milhões por parte da B3 para adquirir participação minoritária de 37,5% no capital social da TSF Soluções em Software - subsidiária da Totvs, que permanece como controladora e única sócia da B3 nesse investimento.

A TSF é uma subsidiária da Totvs focada em soluções de gestão para o segmento financeiro. Com posição de destaque no segmento, o portfólio da TSF inclui: plataforma no mercado de fundos de investimentos para middle e back offices; plataforma de soluções de core banking voltada a pequenos e médios bancos; e plataforma de processamento e gestão para operações de cartões private label. Sua receita líquida em 2020 foi de aproximadamente R$ 140 milhões.

A notícia é positiva para todos os envolvidos. Com a entrada da B3 no capital e na governança, e com posição inicial de caixa líquido de R$ 650 milhões, a TSF ganha fôlego para se tornar a principal plataforma de tecnologia B2B para o setor financeiro.

A Totvs, por sua vez, utiliza mais uma vez sua credibilidade e destaque no mercado para crescer por meio da criação de joint-ventures, parcerias com empresas líderes, aquisições e investimento em inovações orgânicas.

Já a B3, mostra movimento para acompanhar a revolução na área de tecnologia financeira no Brasil, com a criação do Pix e do Open Banking. A parceria indica que a B3 quer crescer com foco em novos mercados com alto potencial de crescimento.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL