PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Weg, Vale e Facebook: veja o que pode mover as ações hoje

Linha de montagem da Weg: empresa teve bons resultados, tanto no Brasil quanto no mundo - Getty Images
Linha de montagem da Weg: empresa teve bons resultados, tanto no Brasil quanto no mundo Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

29/07/2021 08h51

No Investigando o Mercado de hoje, vamos conversar sobre resultados divulgados ontem (28) por Weg (WEGE3), Vale (VALE3) e Facebook (FBOK34).

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Weg tem lucro maior

As principais linhas do resultado divulgados pela Weg (WEGE3) antes da abertura do mercado foram positivas, superiores ao consenso, beneficiadas pelos fortes dados operacionais reportados no mercado interno e externo.

A companhia multinacional brasileira especializada na fabricação e venda de motores elétricos, transformadores, geradores e outros apresentou avanço na receita operacional líquida (41,4% na comparação anual), atingindo R$ 5,7 bilhões. Na comparação trimestral, a alta foi de 13,2%. Desse montante, cerca de 45% correspondem ao mercado interno.

Importante ressaltar que o Ebitda da companhia e seu lucro líquido foram positivamente impactados em R$ 300,4 milhões e R$ 282,8 milhões, respectivamente, pela contabilização de créditos referentes à exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e COFINS no período. Com isso, o Ebitda da companhia apresentou avanço de 90,2% na comparação anual, atingindo R$ 1,4 bilhão no trimestre. Na comparação trimestral, a alta foi de 37,0%.

O lucro líquido da companhia cresceu 120,6% no ano contra ano, alcançando R$ 1,1 bilhão no segundo trimestre deste ano. Por fim, o retorno sobre o capital investido (ROIC - métrica de rentabilidade) atingiu 32,2%, crescimento.

O resultado veio sólido, acima das expectativas, e esperamos reação positiva no preço das ações WEGE3 no curto prazo.

Vale é impulsionada por preços do ferro

O resultado divulgado pela Vale após o fechamento do mercado foi forte, puxado pelo recorde de preços do minério de ferro no trimestre.

Como já adiantado na prévia operacional (produção e vendas), os volumes de vendas totais foram significativamente superiores ao primeiro trimestre do ano. Os preços médios realizados ficaram 30% acima do trimestre anterior, impulsionando ainda mais as margens. O crescimento foi parcialmente compensado pelo menor volume de vendas nos metais básicos, aumento do custo de produção do minério de ferro devido a acidente e maior nível de intervenção para manutenção, além de maior volume de compra de minério de terceiros.

A receita líquida consolidada alcançou R$ 16,7 bilhões, crescimento de 31,8% na comparação trimestral, em linha com o aumento do preço médio de minério de ferro, na casa dos 27%. A contribuição do minério de ferro na receita foi de 85,7% e os metais básicos contribuíram com cerca de 13%.

O principal destaque, porém, foi o lucro líquido em US$ 7,5 bilhões, alta de mais de sete vezes o montante do mesmo período do ano passado e cerca de 37% superior ao primeiro trimestre deste ano.

As ações VALE3 subiram fortemente antes da divulgação dos resultados. O mercado esperava números sólidos e rentabilidade recorde em virtude da prévia operacional e do preço médio do minério de ferro registrado ao longo do segundo trimestre. Dessa forma, esperamos um leve movimento de realização das ações da companhia no curto prazo, uma vez que os números, apesar de fortes, vieram em linha com as estimativas do mercado.

Facebook tem bons resultados, mas ações podem sofrer

O Facebook (FB e a BDR FBOK34) apresentou resultados muito bons, acima das expectativas. Apesar disso, esperamos impacto negativo nas ações FB no curto prazo, porque os resultados divulgados antes por Twitter e Google haviam antecipado o bom momento do setor de publicidade online.

Assim como no primeiro trimestre do ano, o resultado veio limpo, com crescimento de receitas forte e acima das expectativas, operacional sólido (aumento no número e preço dos anúncios entregues, base de usuários crescentes), ganhos de eficiência operacional/margens, lucro e geração de caixa livre.

A base de usuários diários ativos considerando todas as plataformas (Facebook, Messenger, WhatsApp e Instagram) ficou no patamar de 2,76 bilhões ao final do trimestre (crescimento de 12% na comparação anual). A base de usuários mensais ativos foi de 3,51 bilhões (crescimento de 12% contra o 1T21).

A receita líquida foi de US$ 29,07 bilhões, crescimento de 57% na comparação anual e 4,5% acima das expectativas. O resultado foi impulsionado pelo acréscimo de 47% no preço por anúncio e aumento de 6% no número de anúncios entregues.

O resultado operacional medido pelo Ebit também foi expressivo: US$ 12,36 bilhões de dólares, crescimento de 107% ano contra ano. A margem operacional pulou de 32% para 43%. O lucro por ação foi de US$ 3,61 e bateu as estimativas, na casa dos US$ 3,04 por ação.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL