PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Localiza e Amazon divulgam resultados: qual o impacto nas ações?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

30/07/2021 08h39

Hoje, vamos conversar sobre resultados divulgados ontem (29) pela Localiza (RENT3) e pela Amazon (AMZN34) após o fechamento do mercado.

A Localiza apresentou números que mostram a recuperação do setor, e mercado aguarda decisão do Cade sobre fusão com Unidas. Já a Amazon apresentou projeções desanimadoras.

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Localiza tem lucro líquido 4 vezes maior

A Localiza (RENT3) apresentou bons resultados em termos de lucro líquido e receita líquida, mas veio com números abaixo das expectativas em termos de Ebitda.

O lucro líquido no segundo trimestre deste ano foi de R$ 447,9 milhões, crescimento de 398,2% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado foi impactado positivamente por: (i) aumento no Ebitda de R$ 334,9 milhões; (ii) R$ 120,0 milhões de redução na depreciação; (iii) R$ 81,4 milhões a menos em despesas financeiras líquidas.

A receita líquida consolidada apresentou aumento de 71,7% na comparação anual. A receita líquida de aluguéis cresceu 65,5%, sendo 94% na divisão de aluguel de carros e 13,1% na divisão de gestão de frotas. O crescimento de 35% no volume de carros vendidos combinado ao aumento de 31,3% no preço praticado, levou a um aumento de 77,2% nas receitas de Seminovos.

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) somou R$ 769,7 milhões no trimestre, crescimento de 77% na comparação anual, mas abaixo do consenso de mercado de R$ 791,2 milhões.

O número de diárias da divisão de Aluguel de Carros cresceu 26,3%. A taxa de utilização da frota permaneceu acima de 75%, com o valor da diária média 53,3% maior. A companhia encerrou o trimestre com 621 lojas, sendo 548 no Brasil e 73 em outros 4 países da América do Sul. Foram adicionadas 24 novas agências no último ano.

Esperamos um impacto positivo no preço das ações RENT3 para o curto prazo. Os números mostram a forte recuperação do setor de locação de veículos.

O principal catalisador continua sendo a evolução da aprovação da fusão com a Unidas pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que vai criar a maior empresa de mercado no segmento de aluguel de veículos.

Amazon desanima investidores

A Amazon apresentou resultado regular no segundo trimestre, no centro do guidance de receitas e sem ganhos expressivos de margem operacional. Logo, esperamos impacto negativo no preço das ações AMZN (e a BDR AMZO34) no curto prazo. As projeções para o próximo período também não foram animadoras, o que deve gerar uma série de reavaliações das projeções para baixo.

Na nossa avaliação, o destaque negativo veio do e-commerce (1P), com compressão expressiva das taxas de crescimento. Os destaques positivos vieram da AWS, outros e assinaturas, que seguem crescendo bem.

A receita líquida foi de US$ 113,1 bilhões, no centro do guidance, que ia de US$ 110 a US$ 116 bilhões. O crescimento na comparação anual foi de 27%. O resultado operacional medido pelo Ebit foi de US$ 7,7 bilhões, crescimento de 32% na comparação anual. A margem operacional ficou em 6,8%, um aumento de 0,2 pontos percentuais.

Na divisão por região, a América do Norte apresentou receita de US$ 67,55 bilhões (crescimento de 30% e margem operacional de 4,7%, com ganhos de 0,8 pontos percentuais) e o restante do mundo teve receita US$ 30,72 bilhões (crescimento de 36% e margem operacional de 1,2%, com queda de 0,3 pontos percentuais).

Na segmentação por canal, a receita do e-commerce 1P foi de US$ 53,15 bilhões (crescimento de 16%), lojas físicas ficou em US$ 4,2 bilhões (crescimento de 11%) e e-commerce 3P (marketplace) teve receita de US$ 20,08 bilhões (crescimento de 30%).

A receita com serviços de assinatura (Prime) foi de US$ 7,9 bilhões (crescimento de 32%); a receita da Amazon Web Services (AWS) foi de US$ 14,8 bilhões (crescimento de 37%). No segmento "outros", principal avenida de crescimento da publicidade digital, a receita foi de US$ 7,9 bilhões, crescimento de 84%.

O lucro por ação foi de US$ 15,12, bem acima dos US$ 10,30 do primeiro trimestre do ano passado. O esperado girava em torno dos US$ 12,28 dólares por ação.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL