PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

O que você precisa saber sobre o melhor resultado da história da Usiminas

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

02/08/2021 09h26

Hoje vamos conversar sobre resultados divulgados pela siderúrgica Usiminas (USIM5) e pela distribuidora de energia Isa Cteep (TRLP4).

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Usiminas

A Usiminas, uma das principais companhias produtoras de aço no Brasil, apresentou resultados fortes na manhã de sexta-feira (30), com crescimento de 36% na receita líquida, alcançando R$ 9,6 bilhões, e com volume de vendas de minério e aço crescendo 5% no segundo trimestre. A divisão de siderurgia obteve o maior crescimento absoluto, com resultado de quase R$ 2 bilhões em relação ao trimestre anterior (cerca de 38%).

O lucro líquido consolidado foi de R$ 4,5 bilhões, um recorde trimestral para a companhia e um montante três vezes o registrado tanto no primeiro trimestre como no quarto trimestre do ano passado. Com esse resultado, a companhia se torna caixa líquido, ou seja, a disponibilidade de caixa supera a dívida total, com possibilidade de vir um dividendo extraordinário pela frente.

O resultado da companhia foi, de longe, o melhor da história. Mesmo excluindo o efeito positivo de R$ 1,6 bilhão referente ao crédito tributário da exclusão do ICMS da base de PIS/Cofins, os números apresentados superaram as estimativas de mercado. A Usiminas ainda credita um montante de R$ 1,7 bilhão em impostos a recuperar no balanço, de modo que os ganhos de reversão tributária podem acontecer em montantes relevantes pela frente, beneficiando largamente a geração de caixa.

Apesar dos números bons e acima da expectativa, esperamos bastante volatilidade para as ações da USIM5. A realização no mercado de minério de ferro deve desencadear uma correção em sua cotação no curto prazo.

Isa Cteep

A Isa Cteep (TRPL4) divulgou seus resultados na quinta-feira (29), após o fechamento do mercado, com recuo de sua receita líquida regulatória de 47,1% no segundo trimestre, quando comparada ao mesmo período em 2020. O total da receita líquida foi R$ 792,3 milhões, abaixo do esperado. Seus custos e despesas de operação e manutenção cresceram, com alta de 9,1% na despesa com Pessoal, Materiais, Serviços e Operações (PMSO), totalizando R$ 137 milhões.

O lucro líquido regulatório da Isa Cteep veio bem abaixo do esperado, apresentando queda de 73,01% e reportando R$ 248,1 milhões no trimestre. Sua margem líquida também registrou queda de 30,1 pontos percentuais na comparação anual, reportando 31,3%.

A queda no lucro líquido pode ser explicada pela equivalência patrimonial menor do que a esperada —de R$ 11,2 milhões no segundo trimestre—, além da despesa financeira mais acentuada, com resultado financeiro registrando R$ -138,4 milhões no período (queda de 397,5%). Ainda, seu ROE (métrica de rentabilidade) também apresentou queda de 6,9 pontos percentuais no ano contra ano, registrando 17,5% no período.

Os números da Isa Cteep vieram negativos, impactados por uma maior despesa financeira, além de maior gasto de PMSO e gastos com fundo de pensão. Dessa forma, esperamos reação negativa no preço das ações TRPL4 para o curto prazo.

Do ponto de vista setorial, entendemos que as transmissoras de energia devem se mostrar resilientes no atual cenário de risco hidrológico. No entanto, vemos como potenciais riscos ao setor:

  • a perspectiva de aumento da taxa de juros, que aumenta o custo de capital
  • o impacto da reforma tributária, que afeta mais fortemente empresas que pagam bons dividendos
  • a alta concorrência observada nos últimos leilões de transmissão, com elevado deságio praticado, que deve se repetir nos próximos leilões.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE