PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Petrobras e BRF: duas ações de destaque para ficar de olho

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

26/08/2021 08h40

Hoje vamos conversar sobre o plano de desinvestimento da Petrobras (PETR4) e sobre o avanço da BRF (BRFS3) no mercado de ração para animais.

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Petrobras vende uma refinaria, enquanto outra ficou sem propostas

A Petrobras (PETR4) fez dois comunicados ao mercado na noite de ontem (25). O primeiro informou a venda da Refinaria Isaac Sabbá (REMAN), no Amazonas, para a Atem Distribuidora de Petróleo. Já no segundo, a companhia informou que não houve proposta de compra para a Refinaria Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco. Ambas as refinarias constam no plano de desinvestimento da Petrobras.

A REMAN possui capacidade de processamento de 46 mil barris por dia e um terminal de armazenamento. Foi vendida por US$ 189,5 milhões, sendo US$ 28,4 milhões pagos na assinatura do contrato e US$ 161,1 milhões no fechamento da operação. A transação está sujeita à aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), mas não deve ter surpresas, pois reduz a participação da Petrobras no refino brasileiro, atualmente em 95%.

Em compromisso com o Cade para a abertura do setor de refino no país, a Petrobras se comprometeu a vender oito das 13 refinarias que possui. Apenas duas foram vendidas até o momento.

Já a Refinaria Abreu e Lima (RNEST), uma das maiores e mais modernas do país, com capacidade de processamento de 230 mil barris por dia, não recebeu proposta de compra e a Petrobras encerrou o processo para avaliar os próximos passos.

A venda da REMAN é positiva para Petrobras, que segue se desfazendo de ativos não estratégicos para focar na exploração e produção de petróleo em águas profundas, principalmente no pré-sal. Já o encerramento da venda da RNEST é negativo, pois traz o temor de que outras refinarias em processo de venda tenham a mesma dificuldade, o que atrapalharia a reestruturação da Petrobras, com venda de ativos não estratégicos para diminuir endividamento e se tornar mais leve e eficiente.

BRF aposta no segmento de alimentação para pets

Recentemente, a BRF decidiu aumentar sua influência no setor de pet food e investiu R$ 1,35 bilhão na compra de dois fabricantes de ração para cães e gatos, o Grupo Hercosul e a Mogiana Alimentos. Atualmente, a receita combinada das empresas adquiridas é de cerca de R$ 750 milhões, apenas 2% da receita líquida da BRF. O CEO global da companhia, Lorival Luz, afirma que futuramente essa linha de negócio pode representar de 10% a 15% do faturamento. Com 10%, a linha de pet food corresponderia a R$ 4 bilhões em vendas.

O Brasil é o segundo maior mercado de pet food do mundo, segmento que cresce cerca de dois dígitos a cada ano, gerando amplas oportunidades. Segundo a BRF, os negócios de pet food têm margem Ebitda de 15% a 20%, acima das margens da indústria de frango e suínos.

A entrada da BRF no mercado de pet food é positiva para a rentabilidade da companhia. As empresas adquiridas são grandes e complementares geograficamente. A Hercosul tem forte atuação na região sul e a Mogiana, na região sudeste - os maiores mercados consumidores do Brasil. A estratégia de longo prazo da BRF (BRFS3) é estar entre as líderes em pet food até 2025, para atuar de forma ainda mais intensa em diversos canais.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL