PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Subsidiária de carros voadores da Embraer firma parceria: e as ações?

Modelo de aeronave eVTOL da Embraer: mais uma parceria - Divulgação/Eve Air Mobility
Modelo de aeronave eVTOL da Embraer: mais uma parceria Imagem: Divulgação/Eve Air Mobility
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

21/09/2021 09h12

Hoje vamos conversar sobre as avenidas de crescimento exploradas pela Embraer (EMBR3) e sobre a venda de fazenda pela BrasilAgro (AGRO3).

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Subsidiária de carros voadores da Embraer assina novas parcerias

A Embraer (EMBR3) anunciou ontem (20) que sua subsidiária Eve Urban Air Mobility assinou contrato de colaboração com a Helipass, plataforma francesa de reserva de voo em helicópteros, para acelerar e implantar aeronaves elétricas de decolagem e pouso vertical (eVTOL) na França e em outros países da Europa.

Com a parceria, as empresas esperam disponibilizar 50 mil horas de voo por ano na aeronave elétrica da Eve, mas que pode ter aumento opcional de 100 mil horas por meio de toda a rede do Helipass.

A parceria é um grande passo para a mobilidade aérea, garantindo voos mais sustentáveis ao reduzir emissão de ruído e de carbono na atividade turística. O deslocamento para os aeroportos também se tornará sustentável e aberto a todos, proporcionando solução eficaz de mobilidade.

Ainda ontem, a Embraer (EMBR3) anunciou contrato de serviços de longa duração com a australiana Alliance Airlines para fornecer suporte à frota de jatos E190 da companhia aérea. O contrato cobre mais de 300 componentes reparáveis e inclui materiais e serviços de administração técnica, com apoio das instalações da Embraer na Ásia Pacífico, em Singapura.

A Alliance adquiriu 32 jatos E190, sendo que 12 estão atualmente na Austrália e as 20 restantes devem entrar em operação nos próximos 12 meses. A parceria resultará em economia nos custos de reparo e estoque, redução no espaço para armazenamento e eliminação de recursos necessários para gerenciamento de reparos, garantindo níveis de alto desempenho. O acordo chega num momento em que a aviação doméstica cresce na Austrália.

Ambas as notícias são positivas para a Embraer (EMBR3), que segue explorando novas avenidas de crescimento, com soluções eficientes e competitivas e oferecendo suporte para companhias de todo o mundo por meio de sua expertise técnica e uma vasta rede de serviços para componentes.

BrasilAgro vende fazenda

A BrasilAgro (AGRO3), uma das maiores companhias do agronegócio brasileiro, anunciou na ontem (20) a venda parcial de sua fazenda Rio do Meio, localizada em Correntina (BA). O valor total da venda é de R$ 130,1 milhões, ou R$ 45,5 mil por hectare útil.

A fazenda foi adquirida pela companhia em janeiro de 2020 e possui área total de 12.288 hectares, restando 7.715 hectares no portfólio da empresa após a venda. A parte vendida já estava arrendada para terceiros até 2027.

O comprador das terras não foi informado, mas já pagou R$ 5,3 milhões e ainda pagará mais R$ 10,6 milhões até o fim do ano. O restante do valor será pago em sete parcelas anuais.

A notícia é positiva para a companhia e esperamos reação positiva em suas ações (AGRO3), visto o valor relevante da venda e a alta Taxa Interna de Retorno (TIR) esperada pela empresa na venda de 56,5%. No balanço da empresa, o valor contábil da propriedade é de R$ 40 milhões, incluindo investimentos líquidos de depreciação e a aquisição.

A venda de parte da fazenda segue a estratégia da companhia de vender com ótimo retorno suas fazendas desenvolvidas, enquanto aloca capital para desenvolver e adquirir novas terras com aptidão pecuária. Devido ao bom momento vivido pelo setor, a companhia se encontra com caixa líquido e pode realizar ainda mais vendas, o que deve se traduzir em proventos mais gordos a seus acionistas.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL