PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Weg e Gerdau surpreendem com mais receita e lucro: como ficam as ações?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

28/10/2021 09h52

Hoje comentaremos sobre os resultados de Weg (WEGE3) e de Gerdau (GGBR4). O mercado de geração, transmissão e distribuição de energia deve ser cada vez mais relevante para a Weg. A Gerdau teve destaque na América do Norte.

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Weg surpreende com melhor resultado nacional

A fabricante de equipamentos elétricos Weg (WEGE3) divulgou seus números referentes ao terceiro trimestre do ano. Os resultados vieram sólidos, acima das expectativas em termos de Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) e lucro líquido.

A receita líquida avançou 29,1% na comparação anual, registrando R$ 6,2 bilhões no trimestre. A alta foi impulsionada pelo mercado interno, responsável por 47,3% da receita, com avanço de 40,6% na mesma base anual, e externo, com alta de 20,3%. Na comparação trimestral, a alta foi de 13,7% para o mercado interno e de 3,8% para o externo, reforçando a tendência positiva da receita da companhia, que ficou 5,9% acima do consenso.

O Ebitda avançou 22,3% na comparação anual, registrando R$ 1,1 bilhão no terceiro trimestre do ano. O bom resultado, 6,6% acima do consenso, também reflete a melhor eficiência operacional e gestão de custos da companhia.

A companhia ainda apresentou alta de 26,2% em seu lucro líquido, totalizando R$ 812,9 milhões no período, 1,6% acima do consenso. Seu ROIC (retorno sobre capital investido, métrica de rentabilidade) acumulado nos últimos 12 meses mostrou evolução de 8 pontos percentuais em relação ao mesmo trimestre em 2020, atingindo 31,3%.

A Weg publicou números positivos, surpreendendo as estimativas dos analistas. Vale mencionar que, nos trimestres anteriores, esse padrão também se confirmou, com a empresa divulgando números superiores ao consenso do mercado, justificando o histórico de sólido desempenho de suas ações.

De modo geral, estimamos que o crescimento da Weg permanecerá forte no médio prazo, porém em ritmo inferior àquele observado em 2020 e início de 2021 devido às novas condições macroeconômicas e aos fundamentos dos mercados de atuação, embora a companhia não tenha sofrido com interrupções de produção mesmo diante dos desafios nas cadeias de suprimento globais.

O mercado de geração, transmissão e distribuição de energia deve ser cada vez mais relevante no mix de receitas da companhia, com projetos de geração eólica. Há também espaço para aumentar participação no segmento de transformadores e no segmento fotovoltaico, especialmente por meio de projetos de geração descentralizada.

Gerdau tem mais um recorde

A Gerdau (GGBR4), a maior produtora de aços longos do Brasil, divulgou seus resultados referentes ao terceiro trimestre do ano. Os números vieram com mais um trimestre recorde, com crescimento na receita e números de vendas ligeiramente superiores ao trimestre anterior, que já havia sido de recordes e margens de lucro sem precedentes.

O destaque desta vez veio com a operação na América do Norte, que foi a divisão que apresentou maior crescimento no trimestre, contribuindo com 34,4% da receita líquida e 22,7% do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).

A receita líquida consolidada cresceu 74% na comparação anual e 11% na base trimestral, alcançando a cifra de R$ 21,3 bilhões. O lucro bruto foi a linha com maior crescimento, com 278% na comparação anual, alcançando R$ 6,42 bilhões. O Ebitda ajustado por efeitos não recorrentes chegou em R$ 7,02 bilhões, com margem de 32,9%, um crescimento de 228% em relação a mesmo período em 2020 e de 19% em relação ao segundo trimestre.

O lucro líquido veio em níveis mais impressionantes e não vistos antes na história da companhia, chegando a R$ 4,56 bilhões no trimestre, um crescimento de 35% em relação ao trimestre anterior e acumulando R$ 10,4 bilhões no acumulado em 9 meses de 2021. Com esse número e uma geração de caixa livre de R$ 3,8 bilhões no trimestre, o Conselho de Administração aprovou mais um pagamento de proventos, antecipando os resultados de 2021 no valor total de R$ 2,77 bilhões, sendo R$ 2,42 bilhões em dividendos e R$ 340 milhões em juros sobre capital próprio (JCP).

Os proventos representam R$ 0,20 por ação em JCP e R$ 1,42 por ação em dividendos que, somados aos montantes já distribuídos no ano, chegam ao patamar de mais de 10% de retorno em proventos aos acionistas da Gerdau. A última data com direito aos proventos é o dia 5 de novembro.

A demanda aquecida por aço em diversos setores da economia, como agricultura, infraestrutura, construção civil e energia, vem puxando o volume de vendas, mantendo a produtividade alta e sustentando o patamar de preços saudáveis, tanto no Brasil como na operação da América do Norte, as 2 principais regiões de atuação. A operação da América do Norte vem funcionando quase perto da plena capacidade, com demanda aquecida vindo também da construção civil e da infraestrutura. Com mais um resultado recorde, esperamos um impacto positivo nas ações da companhia.

Além disso, a China, principal consumidora e produtora de aço no mundo, vem reduzindo a produção de aço, gerando um desajuste entre as cotações de minério de ferro e aço, dado que, com o corte de produção do metal de maneira mais contundente pelas regulamentações do governo chinês, os preços do aço podem seguir em níveis mais altos.

Com a combinação de cenário de curto prazo com custo de minério mais baixo e preço do aço em patamares mais altos, as margens das siderúrgicas podem vir ainda maiores no quarto trimestre do ano, mesmo com possibilidade de uma retração na demanda.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL