PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Taesa, de energia, quer crescer e deve pagar mais a investidores; veja

Taesa: diretor de relações com investidores assegurou uma forte geração de caixa em 2022, devendo se refletir em dividendos pagos aos investidores.  -
Taesa: diretor de relações com investidores assegurou uma forte geração de caixa em 2022, devendo se refletir em dividendos pagos aos investidores.
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

06/12/2021 09h45

Hoje comentaremos sobre as novidades apresentadas pela Taesa (TAEE11) no seu 'Dia do Investidor' e a respeito da desistência do Inter (BIDI11) de listar suas ações nos EUA.

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Taesa quer crescer via leilões e compras de outras empresas

Em evento do seu "Dia do Investidor" (Taesa Day), a transmissora de energia Taesa (TAEE11) informou que não venderá ativos, nem reciclará seu portfólio. O diretor financeiro da companhia, Erik Breyer, declarou que a empresa manterá seus três pilares de crescimento: leilões, reforços e fusões e aquisições.

Segundo o presidente da companhia, André Moreira, um dos pilares do novo plano será a expansão da carteira de ativos por meio da participação em leilões de transmissão e aquisições de projetos já existentes. Nesse sentido, a próxima oportunidade à vista para a companhia se trata do segundo leilão de transmissão de 2021, marcado para 17 de dezembro.

Em declarações recentes, Moreira reiterou o interesse da companhia em participar ativamente da licitação, que ofertará cinco lotes, com a Taesa manifestando interesse por todos. Ao todo, a expectativa de investimentos para o leilão é de R$ 2,9 bilhões.

Além do foco no crescimento da carteira, Moreira citou os pilares de competitividade e de gestão regulatória como também estratégicos. Como parte da agenda de melhores práticas ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês), também ressalta o interesse da companhia em instalar painéis solares próximos às subestações existentes, de modo a atender ao consumo próprio, mencionando ainda a possibilidade de conectar parques eólicos ao sistema de transmissão.

Já o diretor de relações com investidores, Cristiano Grangeiro, assegurou uma forte geração de caixa em 2022, devendo se refletir em dividendos pagos aos investidores. Na semana passada, a Taesa anunciou o pagamento de R$ 523 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio (JCP). O pagamento ocorrerá no dia 29 de dezembro 2021, com base na posição acionária deste dia 6 de dezembro.

Enxergamos o interesse da Taesa em priorizar a expansão de sua carteira de ativos como algo positivo para a companhia, com os benefícios deste processo devendo se refletir em sua operação no futuro. Entretanto, o interesse em participar ativamente dos próximos leilões de transmissão de energia não é uma notícia necessariamente positiva, uma vez que há ressalva sobre a correta precificação desses ativos, levando em conta os resultados dos últimos leilões.

Os deságios pronunciados observados nas últimas licitações geram incerteza quanto à capacidade das empresas ganhadoras do certame em conseguir extrair valor destes projetos. Então, devemos ficar atentos com os resultados dos leilões e analisar a participação da empresa e o valor das propostas vencedoras.

Inter desiste de reorganização societária e listagem na Nasdaq

O Banco Inter (BIDI11) desistiu da reorganização societária que levaria a companhia à listagem de uma nova holding na Nasdaq. A justificativa é que o valor a ser desembolsado para o pagamento do "cash-out" (quando o acionista prefere receber em dinheiro sua participação do que as ações resultantes da reorganização societária) excedeu o limite de R$ 2 bilhões que havia sido estabelecido pelo banco.

Os detentores das ações tinham até quinta-feira (2) para optar pelo cash-out ou se preferiam trocar suas ações BIDI11 e BIDI4 por BDRs do Inter Platform (nome do banco na Nasdaq).

Uma das condições para seguir com a operação era que o valor da primeira opção (cash-out) não ultrapassasse os R$ 2 bilhões. Mas foi exatamente o que aconteceu, com mais de 10% da base acionária do Inter preferindo o cash-out.

O Inter tinha a prerrogativa de seguir com a operação caso decidisse desembolsar uma quantia superior, porém o Conselho de Administração optou por não a exercer.

As ações BIDI11 encerraram o pregão de sexta-feira (3) em R$ 32,99, enquanto os papéis preferenciais (BIDI4) fecharam cotados a R$ 11,08, ou seja, quem escolheu vender as ações garantiria uma valorização próxima dos 36% em ambos os casos.

O Inter já vinha trabalhando na reorganização societária desde o primeiro semestre deste ano. Evoluiu seu modelo de negócios de um banco digital para um ecossistema com cinco avenidas de negócios que se complementam, como forma de atingir um alcance global e consolidar sua posição como plataforma digital de serviços financeiros e não financeiros.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL