PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Fusão cria no país uma das maiores empresas de saúde do mundo; veja análise

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

17/12/2021 09h58

Hoje comentaremos a combinação de negócios entre Hapvida (HAPV3) e o Grupo NotreDame Intermédica (GNDI3), além de novas aquisições da Camil (CAML3).

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Aprovada a criação de nova gigante no setor de saúde

A Hapvida (HAPV3) informou que a Superintendência-Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a combinação de negócios entre a Hapvida e o Grupo NotreDame Intermédica (GNDI3), sem restrições.

A operação agora aguarda 15 dias para que algum ministro da corte do Cade solicite ou não uma análise mais aprofundada. Caso essa análise não seja solicitada, o negócio será automaticamente aprovado.

Com o aval, a Hapvida irá incorporar as ações da Intermédica, criando uma das maiores empresas de saúde do mundo. Somados os números das duas companhias, a nova empresa terá quase 8.000 leitos, 9,5 milhões de vidas nos planos de saúde, 7,2 milhões em plano dental, além de uma receita combinada de R$ 28,5 bilhões.

A notícia foi bem recebida pelo mercado, uma vez que a aprovação ocorre após seuis meses de análise pela superintendência e uma sinalização do Cade de que a operação era complexa e exigia uma análise profunda de seus efeitos no mercado. As ações da Hapvida e da Intermédica reagiram com ganhos de, respectivamente, 1,58% e 3,17% na B3 na quinta-feira (16). O Ibovespa subiu 0,83%, aos 108.326 pontos.

Vemos a fusão de forma muito positiva para a nova companhia, que se tornará uma gigante do setor e em busca de uma maior consolidação do mercado, que hoje é altamente pulverizado. Também vemos grandes sinergias a serem obtidas com a fusão, com o compartilhamento de despesas, além de sinergias tributárias e da maior venda de planos na rede da Intermédica.

Os grandes players do setor vêm buscando sua consolidação, se capitalizando para realizar inúmeras aquisições, como é o caso de Rede D'Or (RDOR3), Mater Dei (MATD3), Kora (KRSA3), Dasa (DASA3) e Qualicorp (QUAL3). O Cade, inclusive, autorizou o aumento da participação da Rede D'Or na Qualicorp. Assim, esperamos um acirramento por novas aquisições, aumentando o valor pago nas operações.

Camil compra duas empresas de café

A Camil anunciou a compra de duas companhias de café, a Café Bom Dia e a Agro Coffee, que se juntam à marca Seleta, que havia sido adquirida anteriormente pela empresa.

O valor das transações foi de R$ 63 milhões, sendo R$ 62 milhões por 97% da operação da Café Bom Dia e R$ 1 milhão por 90% da Agro Coffee. A Camil não divulgou os números das adquiridas, mas vale ressaltar que a Café Bom Dia se encontra atualmente em recuperação judicial, o que sugere que a compra foi realizada com um desconto significativo.

A Café Bom Dia atua no segmento de café desde 1895, detendo hoje as marcas Bom Dia e Sul de Minas. A planta industrial fica localizada em Varginha (MG), tendo uma capacidade produtiva de aproximadamente 40 mil toneladas por ano, e permitirá a operacionalização da empresa com as marcas Seleto e União (açúcar). A Agro Coffee, por sua vez, atua com o comércio, importação e exportação de café.

As compras abrem uma avenida importante para a Camil no segmento de café, que agora consegue operacionalizar a marca Seleta. Vale ressaltar que a companhia ainda não havia definido como começaria a operar com a nova marca. Além disso, a compra da Café Bom Dia traz uma expertise de uma empresa que atua há 120 anos no setor, algo muito relevante, mesmo que a companhia se encontre em recuperação judicial.

O Brasil é o segundo maior mercado consumidor de café do mundo, tendo um consumo per capita em 2020 de 4,8 kg e movimentando R$ 10,3 bilhões por ano. O setor é muito pulverizado, 82% composto por pequenas e microempresas.

Além disso, a Agro Coffee, que atualmente é uma companhia pequena, ao ser incorporada por uma gigante como a Camil, tem a possibilidade de aumentar sua operação rapidamente, juntando a expertise da Camil de operar com commodities e das marcas de café, que lidam com o próprio produto.

As ações da Camil fecharam a quinta-feira (16) em alta de 3,72%, cotadas a R$ 10,31.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE