PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Petz segue plano ambicioso, e Nike aposta no metaverso; leia análise

Loja da Petz no bairro da Mooca, em São Paulo - Divulgação
Loja da Petz no bairro da Mooca, em São Paulo Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

21/12/2021 09h48

Hoje comentaremos o ambicioso plano de investimento da Petz para abertura de novas lojas e a compra de empresa de tênis virtual pela Nike.

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Petz planeja investir R$ 500 mi em novas lojas

A rede de pet shops Petz (PETZ3), que neste ano atingiu o marco de 166 lojas em funcionamento no Brasil, planeja seguir com seu ambicioso plano de expansão e investir R$ 500 milhões na abertura de novas lojas em localidades onde a companhia ainda não tem unidades ou conta com baixa presença.

A empresa lidera seu segmento de atuação no mercado, com a principal característica para isso sendo o forte ritmo de abertura de estabelecimentos. A Petz também se aproveita do efeito novidade: em cidades menores, sua chegada causa impacto e vira referência de mercado pet para os consumidores. Ainda sobre sua expansão, a Petz aposta também em aquisições, tendo recentemente adquirido a plataforma de conteúdo digital "Cansei de ser Gato", a Zee.Dog e a franquia de adestramento Cão Cidadão.

Depois de arrecadar mais de R$ 700 milhões com uma oferta subsequente de ações, a companhia segue analisando novas oportunidades de compras. Recentemente, a empresa recrutou Aline Penna, executiva que ajudou a pavimentar a avenida de aquisições que se tornaram marca registrada da Arezzo, para liderar esse departamento. Segundo ela, a Petz busca agora marcas não replicáveis e altamente reconhecidas para integrar seu ecossistema.

Dessa forma, a companhia possui um modelo de negócio interessante, no qual quanto maior a presença física, maior é o fluxo de clientes no e-commerce, com os dois ambientes atuando de maneira complementar. Com a expansão física, a empresa espera o fortalecimento da marca e o avanço dos meios digitais, visando que o período de entrega chegue a cair de 15 dias para aproximadamente um dia, com a possibilidade ainda de oferecer frete grátis.

Olhando para 2022, a Petz tem como plano marcar presença em três novos estados e, com isso, alcançar o patamar histórico de 50 aberturas de lojas em um ano. A empresa tem um nível de endividamento baixo, atua em um setor que não está sujeito a regionalismos e reforçou seu caixa após uma oferta restrita de ações em novembro, o suficiente para financiar mais dois anos de abertura de lojas.

Nike compra empresa de tênis virtual

Visando aumentar sua exposição no ambiente digital compartilhado Metaverso, a Nike anunciou que comprou a RTFKT, empresa de tênis virtual fundada em 2020 que cria NFTs (non-fungible token) de tênis no Metaverso. O valor da transação, contudo, não foi revelado. A RTFKT, de acordo com informações de mercado, valia US$ 33 milhões após rodada de captação em maio, para investir na venda de calçados virtuais e avatares.

A aquisição da Nike, que foi uma das primeiras empresas a entrar no Metaverso, faz parte do processo de transformação digital pelo qual a companhia vem passando, com a missão de oferecer a atletas e clientes uma maior conexão com criadores de novas tecnologias, esporte, jogos e cultura.

Apesar de esperarmos uma melhor valorização das ações no médio prazo com este tipo de investimento, temos dificuldades em quantificar que retorno as companhias que vão operar no Metaverso obterão com estes ativos.

No caso das NFTs, a análise de especialistas em tecnologia é que as elas podem representar riscos financeiros para os compradores. Seu valor é amplamente baseado na especulação e, portanto, tende a ser volátil. Ademais, esse mercado ainda é incerto, podendo levar anos para que se tornem os principais impulsionadores das vendas da Nike —ou isso nunca acontecer—, ainda que os produtos estejam, até o momento, encontrando algum sucesso. Mergulhando nessa linha, a principal concorrente da Nike, a alemã Adidas, lançou o "Into the Metaverse", coleção NFT que arrecadou cerca de US$ 23 milhões.

Neste sentido, podemos perceber empresas tentando acompanhar a transformação digital e viver a nova realidade aumentada.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE