PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Tesla apresenta números melhores que o esperado; impacto na ação é positivo

Tesla Roadster 2010 - Hagerty / divulgação
Tesla Roadster 2010 Imagem: Hagerty / divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

28/01/2022 09h24

Hoje comentaremos o pedido da Compass ao Cade para aprovação da compra da Gaspetro e falaremos sobre o resultado acima das expectativas da Tesla.

Confira a seguir o comentário de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento, sobre essas movimentações. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e avaliações de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimento. Este conteúdo é acessível para os assinantes do UOL. O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Tesla apresenta resultados acima das expectativas

Fabricante de veículos elétricos com maior notoriedade no mundo, a Tesla (TSLA) divulgou seus resultados do quarto trimestre de 2021, com números bastante sólidos e um pouco acima das expectativas, principalmente em termos de margens. Ademais, os números de produção e entregas, dois quesitos nos quais a montadora havia tido dificuldades na prévia da companhia, foram bastante encorajadores.

No que diz respeito à produção de veículos, o total em 2021 foi de 936 mil, crescimento de 87% ano contra ano. A receita de veículos, incluindo créditos regulatórios, foi de US$ 15,96 bilhões, crescimento de 71% ano contra ano.

Já as receitas totais, que incluem também o segmento de energia e serviços, somaram US$ 17,2 bilhões, crescimento de 65%. Além disso, o lucro por ação ajustado foi de US$ 2,54, acima das expectativas, que giravam em torno dos US$ 2,40.

Esperamos um impacto positivo no preço das ações no curto prazo, tendo em mente que 2021 colocou a companhia em outro patamar em termos de fundamentos. A Tesla busca elevar a sua produção em pelo menos 50% ao ano. Por fim, durante o quarto trimestre de 2021, foi afirmado que os diversos desafios logísticos (escassez de componentes e até de mão-de-obra) distanciaram a empresa da sua capacidade máxima.

Compass pede ao Cade aprovação da compra da Gaspetro

Nesta semana, a Compass, da Cosan (CSAN3), reforçou ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) o pedido para que a compra da Gaspetro seja aprovada sem restrições, afirmando que não haveria uma concentração excessiva de poder após a aquisição.

Anteriormente, o CMGN (Comitê de Monitoramento da Abertura do Mercado de Gás Natural) e a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) se posicionaram contrários à aquisição, demonstrando preocupações acerca de uma excessiva concentração de mercado por parte da Compass.

Toda essa composição se dá pelo fato de a Gaspetro ser uma holding que possui participações minoritárias em 17 concessionárias de distribuição pelo Brasil, enquanto a Compass é a controladora da Comgás, maior distribuidora de gás do país, além de ter sido a vencedora, e única ofertante, do leilão da Sulgás.

Neste cenário, enxergamos três possíveis desfechos para a operação:

  • a aprovação da aquisição sem restrições;
  • o veto da aquisição e a abertura de novo processo de venda com a companhia sendo "fatiada";
  • a aprovação parcial da aquisição com remédios, com a Compass sendo obrigada a vender sua participação em algumas distribuidoras, principalmente onde já possui alguma influência.

Vemos a última possibilidade como a mais provável. Mesmo com restrições, entendemos como positiva a compra da Gaspetro, ampliando fortemente a atuação da Compass nesse mercado.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo estrategista-chefe e sócio-fundador Rafael Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.