PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Vendas da Iguatemi crescem 31,9% em maio em relação ao período pré-pandemia

History Channel Brasil
Imagem: History Channel Brasil
Conteúdo exclusivo para assinantes

Rafael Bevilacqua

17/06/2022 09h01

A operadora de shopping centers Iguatemi (IGTI11) divulgou os seus indicadores operacionais referentes a abril e maio de 2022. Seguindo a tendência observada em suas últimas prévias, seus números vieram robustos, indicando um forte começo de ano para a operação da companhia. As vendas nos shoppings administrados por ela superaram os patamares pré-pandemia.

Confira a seguir o comentário de Rafael Bevilacqua, estrategista-chefe e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento, sobre o tema. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e avaliações de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimento. Este conteúdo é acessível para os assinantes do UOL. O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Em relação às vendas totais, a operadora de shoppings reportou em maio um crescimento de 31,9% em relação ao mesmo período em 2019, ano pré-pandemia, com pelo menos quatro shoppings de seu portfólio apresentando crescimento acima de 50%.

Em abril as vendas também vieram expressivas, com a companhia exibindo um aumento de 33,8% em comparação ao mês de abril em 2019.

A métrica de vendas de mesmas lojas (na sigla em inglês, SSS, que compara o desempenho entre unidades já existentes), exibiu avanço de 33,2% para os meses de abril e maio, com o mês de maio apontando um crescimento de 33,1% em relação ao mesmo período em 2019.

Como segmentos cujos desempenhos destacaram-se no período, salientamos os de moda, calçados, artigos de couro, artigos diversos, saúde & beleza e joalherias.

A boa performance em vendas possibilitou ainda a retirada de quase a integralidade de descontos aos lojistas, o que se refletiu no expressivo avanço das métricas de aluguéis de mesmas lojas (da sigla em inglês, SSR) e aluguéis de mesmas áreas (SAR) em maio de 2022, de 58,4% e 45,7%, respectivamente, em comparação ao mesmo período de 2019.

De fato, além do avanço em vendas registradas no período, a companhia surpreendeu com melhoras em seus indicadores de aluguel, inadimplência (queda de 0,1 ponto percentual contra o mesmo período em 2019) e custo de ocupação (retração de 0,4 ponto percentual na comparação com o 2T19), demonstrando a resiliência de sua operação.

Após dois anos difíceis, durante os quais os shoppings viram seus resultados severamente prejudicados pela pandemia, o setor passa por um momento de retomada. A inflação e o desemprego ainda são fatores que devem contribuir para limitar os ganhos das operadoras de shopping centers no curto prazo, mas a perspectiva para o setor é otimista olhando para um horizonte de tempo mais longo.

As ações da Iguatemi fecharam em alta de 2,71% na quarta-feira (15), cotadas a R$ 18,16.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo estrategista-chefe e sócio-fundador Rafael Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.