Só para assinantesAssine UOL

Eletrobras (ELET3) levanta R$ 7 bilhões em debêntures, diz jornal

A Eletrobras (ELET3) levantou na última sexta-feira (15) R$ 7 bilhões em títulos de dívida (debêntures) em duas séries, considerada a maior captação já realizada no mercado de renda fixa do Brasil, segundo apuração do Estadão/Broadcast.

Segundo o jornal, a captação atraiu uma demanda que chegou a R$ 13 bilhões, o equivalente a 1,8 vez a oferta.

A Eletrobras captou R$ 4 bilhões em debêntures de infraestrutura - que têm isenção de imposto de renda ao investidor e os recursos destinados a projetos de infraestrutura, pelo prazo de oito anos, oferecendo ao investidor remuneração equivalente a NTNB-2030 somada a um prêmio de 1%.

Houve compressão de taxa, uma vez que a oferta foi lançada com prêmio de 1,30%, puxada por uma demanda que atingiu R$ 5,8 bilhões.

Os recursos levantados por meio da parcela incentivada serão usados para o pagamento de renovação da concessão de usinas subsidiárias da Eletrobras, Chesf e a Eletronorte. BTG Pactual (BPAC11), Bradesco BBI, UBS BB e Santander (SANB11) foram os bancos coordenadores da oferta.

Eletrobras (ELET3) vende Candiota para grupo Âmbar Energia por R$ 72 milhões

A Eletrobras informou no início do mês que concluiu a assinatura de contrato para a venda do complexo termoelétrico de Candiota, o único ativo a carvão do grupo, para o grupo Âmbar Energia, pelo valor de R$ 72 milhões.

A usina, localizada em Candiota, no Rio Grande do Sul, detida pela CGT Eletrosul, possui capacidade instalada de 350 MV. A transação está sujeita a ajustes e condições precedentes usuais de mercado e, uma vez concluída, "será mais um importante a companhia na busca pela redução de emissões de gás CO2 e meta net zero em 2030, já que Candiota representa cerca de um terço das emissões totais da Eletrobras.

Em paralelo e seguindo o plano de otimização societária, a Eletrobras comunicou também evolução de duas negociações com o grupo Âmbar Energia por ativos detidos em conjunto com a elétrica.

Continua após a publicidade

Uma delas consiste na compra das participações de 51% da Âmbar Energia em dois ativos de transmissão por R$ 574 milhões nas sociedades de propósito específico (SPEs) Vale do São Bartolomeu (VSB) e Triângulo Mineiro Transmissora (TMT), detidas em conjunto com a Eletrobras.

As duas SPEs terão dívida líquida próxima a zero na data esperada da finalização da operação, têm receitas anuais permitidas - RAPs homologadas para o ciclo 2023-2024 de R$ 49 milhões e R$ 53 milhões e concessões até outubro de 2043 e agosto de 2043, respectivamente.

"Reforçamos que essa negociação é fruto de uma antecipação com otimização e melhorias dos termos de opção de compra e venda dos dois ativos. Nessas opções, estabelecidas em 2013, a Âmbar Energia detinha o direito de vender suas respetivas participações para Furnas Centrais Elétricas e a referida detinha o direito de comprar as referidas participações. A CELGpar tem um período para exercer seu direito de preferência na VSB, conforme termos do acordo de acionistas vigente", disse a Eletrobras.

A outra negociação trata de uma opção de compra de 51% das 6 SPEs não operacionais de geração eólica do complexo Baleia, em favor da Brasilventos Energia, subsidiária integral de Furnas, por R$ 1. As SPEs não possuem dívida e são detentoras de direito de recebimento em uma ação de cobrança de indenização securitária.

"Os valores são alvo de discussão e uma vez estabelecidos, beneficiarão ambos os acionistas (Âmbar Energia e Eletrobras), uma vez que a efetivação da compra do ativo pela BVE só ocorreria após a conclusão das discussões e recebimento da seguradora", informou a Eletrobras.

Ainda no fato relevante, a empresadestacou que, "com base nos valores registrados do Complexo termoelétrico de Candiota em junho de 2023 e no valor proposto para alienação, a Eletrobras estima que apenas a transação gerará impacto contábil para a companhia, negativo de cerca de R$ 56 milhões no 3T23".

Continua após a publicidade

Também no início deste mês, a Eletrobras concluiu a venda de sua participação de 15,3 milhões de ações ordinárias na Copel (CPLE6), pelo valor de R$ 125,3 milhões, no ambiente da B3 (B3SA3).

Desempenho das ações da Eletrobras

*Com informações de Estadão Conteúdo

Este material foi elaborado exclusivamente pelo Suno Notícias (sem nenhuma participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo nenhum tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco. Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

Deixe seu comentário

Só para assinantes