Só para assinantesAssine UOL

É hoje: Petrobras (PETR4) paga dividendos nesta quinta; veja se você tem direito aos proventos

Nesta quinta-feira (20), a Petrobras (PETR4) paga proventos aos seus acionistas. Tratam-se de dividendos regulares e dividendos extraordinários, no valor de até R$ 1,47 por ação.

O valor dos dividendos da Petrobras é de R$ 0,55 por ação, no caso dos regulares, e de R$ 0,85 por papel, no caso dos extraordinários. Em ambos os casos, há incidência de rendimento tributário sobre o valor base.

Os dividendos regulares serão pagos aos investidores que tinham ações da Petrobras no dia 25 de abril de 2024. Já os dividendos extraordinários da Petrobras cairão na conta de quem tinha papéis da empresa no dia 02 de maio de 2024.

Confira detalhes sobre o pagamento de dividendos da Petrobras na tabela a seguir:

Além dos proventos que serão pagos nesta quinta-feira, o calendário de dividendos da Petrobras prevê também o repasse de outros R$ 13,4 bilhões, valor que deve ser pago entre agosto e setembro deste ano.

CVM esclarece critérios para indicação de diretores e conselheiros da Petrobras (PETR4)

O Colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) publicou entendimento sobre a Lei das Estatais (Lei nº 13.303/2016) acerca do conceito de experiência em “área conexa”, no contexto da indicação e atuação de diretores e conselheiros pela Petrobras (PETR4).

Conforme a reguladora, o critério de “área conexa” aponta para “atribuições” semelhantes em companhias que não necessariamente são da mesma área. Porém, para cargos de presidência e direção operacional de setores como petróleo e mineração, a análise “tende a ser” mais rigorosa.

A manifestação responde a consulta feita pelo Superintendência de Relações com Empresas (SEP) e teve origem em análise da área técnica acerca de reclamação sobre a eleição de Caio Mário Paes de Andrade aos cargos de diretor presidente e membro do Conselho de Administração da Petrobras.

Paes de Andrade foi indicado em junho de 2022 pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. A infração consistiria na falta dos requisitos e pressupostos legais para elegibilidade de administradores em sociedades de economia mista.

Continua após a publicidade

O presidente da CVM, João Pedro Nascimento, relator do processo, frisou, em seu voto, que a lei prevê, como um dos critérios de elegibilidade dos administradores, experiência prévia de dez anos em “área conexa àquela para a qual forem indicados em função de direção superior”, o que dá margem a diferentes interpretações.

Em documento assinado em 16 de abril, o executivo concluiu que a referência à “área conexa” aponta para experiência em cargo com “atribuições” que se assemelham ou equivalem às funções que serão exercidas no cargo indicado. O voto fixou que as competências do indicado devem ter nexo e ser relacionadas às expertises que serão exigidas no novo cargo.

Também concluiu que a verificação de experiência em atribuições semelhantes ou equivalentes depende de análise do caso concreto, sem que, necessariamente, seja exigível experiência prévia em companhias com objeto social similar ou de porte equivalente.

A interpretação da exigência, porém, “tende a ser” mais rigorosa quando o novo cargo demanda expertises específicas, conhecimentos técnicos e setoriais, disse o executivo.

Em relação aos cargos que exigem análise mais rigorosa, Nascimento citou, como exemplo, os postos de diretor presidente, diretor de Operações e diretor setorial em áreas como petróleo, mineração, telecomunicações, energia elétrica e saúde complementar. Já para postos como diretor jurídico e financeiro, a interpretação poderia ser mais flexível.

Com Estadão Conteúdo

Desempenho da Petrobras

Este material foi elaborado exclusivamente pelo Suno Notícias (sem nenhuma participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo nenhum tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco. Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

Deixe seu comentário

Só para assinantes