PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Balanços de empresas, estreias na B3: 4 tópicos que podem afetar a Bolsa

Exclusivo para assinantes UOL Economia+

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/02/2021 08h00

Confira no Café com Mercado, do UOL Economia+, quatro assuntos que devem movimentar a Bolsa nesta semana.

1) Temporada de balanços

Cinco empresas devem apresentar hoje os seus balanços do quarto trimestre de 2020.

Antes da abertura do mercado, que acontece às 10h, estão previstos os dados de Banco ABC (ABCB4) e BB Singularidade (BBSE3).

Após o fechamento da Bolsa (18h), é a vez de BR Properties (BRPR3), Banco Pan (BPAN4) e Duratex (DTEX3) divulgarem os balanços.

2) Estreias na Bolsa

Hoje as empresas Focus Energia (POWE3), de geração e distribuição de energia, e Jalles Machado (JALL3), produtora de açúcar e etanol no Brasil, vão iniciar a negociação de suas ações na B3.

Na sexta-feira, as ações das companhias Mosaico (MOSI3) e Mobly (MBLY3) subiram 96,97% e 25,71% respectivamente, em seu primeiro dia de negócios na Bolsa.

3) Indústria na Alemanha

A Alemanha, uma das principais economias da União Europeia, divulga na manhã de hoje seu índice de produção industrial. O dado ajuda a traçar perspectivas para a economia no país e também para a zona do euro.

Por isso os investidores devem ficar atentos.

4) Inflação no Brasil e nos EUA

Os investidores também ficam na expectativa dos índices de inflação que devem ser divulgados no Brasil e nos EUA, na terça e na quarta-feira, respectivamente.

Os indicadores ajudam a identificar a atividade econômica dos países, além de interferirem na decisão da taxa de juros.

Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

Entre no grupo UOL Economia+ e receba notícias de investimento no WhatsApp.

Tem alguma dúvida ou sugestão? Fale com a gente: uoleconomiafinancas@uol.com.br

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.