PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Analistas de mercado criticam ideia de Pazuello comandar privatizações

Conteúdo exclusivo para assinantes

Camila Mendonça

Do UOL, em São Paulo

25/03/2021 15h50

Depois de sair do Ministério da Saúde sob várias críticas em relação à condução de medidas contra a pandemia, Eduardo Pazuello foi cogitado pelo governo para assumir a secretaria especial do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), que comanda privatizações.

A secretaria hoje é chefiada por Martha Seillier e está subordinada ao Ministério da Economia. A ideia não foi bem recebida e enfrenta muitas resistências. Analistas de mercado ouvidos por UOL também não gostaram da ideia e afirmam que a mudança na condução do programa é um erro.

Entenda os motivos do mercado para temer essa mudança e como ela poderia impactar nos investimentos.

Cargo exige comando técnico

A secretaria especial do PPI cuida de contratos de concessões e privatizações que gerem oportunidades de investimento e emprego, que estimulem o desenvolvimento tecnológico e fortaleçam o papel regulador do Estado, dentre outras coisas, diz Ulisses Penachio, sócio do PMMF Advogados e especialista em Direito Público.

O comando de um programa como o PPI exige alta especialidade em contratos de parceria e outras medidas de desestatização, especialmente com o viés econômico. Não à toa, a Secretaria do PPI é vinculada ao Ministério da Economia. A atual coordenadora do PPI [Martha Seillier] possui sólida formação em economia e é muito respeitada pelo mercado, já tendo, por exemplo, presidido a Infraero.
Ulisses Penachio

Uma rápida análise do currículo e experiência profissional do general Pazuello, com todo o respeito que essa autoridade merece, demonstra de forma clara que não estão presentes os predicados necessários para esse tipo de atividade. Possivelmente o mercado não encontrará na formação acadêmica e na experiência profissional dele a necessária segurança técnica e jurídica para aceitar os riscos decorrentes de contratações públicas dessas espécies.
Ulisses Penachio

Atrasar ainda mais as privatizações

Analistas temem atraso ainda maior em contratos de concessão e até privatizações já esperadas, como Correios e Eletrobras.

Será muito ruim se a indicação ocorrer. O Pazuello já não mostrou a eficiência necessária no Ministério da Saúde, e colocá-lo no PPI pode atrasar ainda mais o processo. Espero que o governo desista dessa ideia.
Sérgio do Vale, economista-chefe da MB Associados

É ruim, ainda mais porque existe a tendência de que a secretaria que comanda o PPI deixe o Ministério da Economia e passe a reportar diretamente ao Palácio do Planalto. Acaba que ele tira ainda mais o poder das mãos do Paulo Guedes que já vem sendo desidratado em alguma medida. Então, alguns programas de privatizações podem ser impactados em alguma medida. Sem dúvida, a sinalização para o mercado é ruim.
Romero Oliveira, Head de Renda Variável da Valor Investimentos

Com a ida de Pazuello ao PPI, aparentemente Martha Seillier teria de deixar o governo, um ponto bastante negativo, visto que ela é bem avaliada pelo mercado e poder executivo, algo que não ocorre com Pazuello. As privatizações estão andando a passos curtos e lentos, mas hoje, ainda há esperança de que aconteçam. Com uma possível mudança, ainda seria cedo para dizer se impactaria ou não no processo, porém causaria bastante receio de como seria com Pazuello no lugar, visto seu histórico de gestão da pandemia.
Heloise Sanchez e Régis Chinchila, da Terra Investimentos

É um sinal negativo aos investidores, porque é mais um baque na agenda de concessões. Pazuello é alvo de inquérito no STF por omissão na crise do Amazonas, e o que está sendo especulado é que Jair Bolsonaro está procurando garantir ao ex-ministro um cargo com foro privilegiado. Esses rumores acabam estressando ainda mais todo esse remanejamento. O PPI é um programa importante, e os investidores já estão se decepcionando com essa agenda de privatizações. A ida de Pazuello para o programa ajuda a deteriorar esse sentimento.
Camila Abdelmalack, economista-chefe da Veedha Investimentos

Sem grandes impactos nos investimentos

Alguns analistas não veem com bons olhos essa mudança, mas acreditam que, se ela ocorrer, os investidores não precisam ficar preocupados com seus investimentos.

A possível ida de Eduardo Pazuello para o PPI, deve gerar um pouco de ruído em Brasília. Martha tem um perfil bem técnico, a confiança do mercado e feito um bom trabalho, principalmente com alguns leilões importantes depois do marco legal do saneamento. Se realmente acontecer a troca, aumentará a incerteza política, mas sem grandes impactos nos mercados.
Felipe Bevilacqua, economista e analista da Levante Ideias de Investimento

Trata-se de um prêmio de consolação e manutenção do foro privilegiado a Pazuello. O mercado inicialmente reagiu de forma negativa, o que não fez Bolsonaro mudar de ideia. Mas o mercado já está acostumado com a dança das cadeiras e vai aceitar mais um militar no comando. Pazuello sempre se mostrou alinhado ao presidente. Essa aproximação pode trazer benefícios para a secretaria.
Aline Cunha, economista da Valor Investimentos

Para a analista, os investidores não precisam se preocupar porque a agenda de privatizações deve ser garantida pelo Ministério da Economia.

Ministério da Economia não comenta

Consultado, o Ministério da Economia afirmou que não vai comentar as críticas dos analistas nem confirma a ida de Pazuello para a secretaria especial.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE