PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Os 3 fundos imobiliários mais indicados para julho, segundo 10 corretoras

Conteúdo exclusivo para assinantes

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/07/2021 04h00

Em meio a um cenário turbulento para os fundos imobiliários —com reforma tributária e juros mais altos no horizonte—, os especialistas têm recomendado cautela aos investidores e realizaram poucas alterações nas carteiras indicadas para julho. Com isso, a preferência dos analistas para o mês é por um fundo de logística, presente em seis entre dez portfólios pesquisados pelo UOL Economia+.

Os outros destaques do mês são produtos que investem em diferentes segmentos imobiliários (híbridos), ocupando a segunda e terceira posições entre os mais escolhidos, reunindo cinco e quatro recomendações de investimento. Confira a seguir os fundos imobiliários mais indicados*:

  • Bresco Logística (BRCO11): 6 recomendações
  • TRX Real Estate (TRXF11): 5 recomendações
  • CSHG Renda Urbana (HGRU11): 4 recomendações

*Levantamento feito com base nas carteiras recomendadas pelas seguintes instituições: Ativa Investimentos, BB Investimentos, BTG Pactual, Genial Investimentos, Guide Investimentos, Mirae Asset Corretora, Necton Investimentos, Santander Corretora, Terra Investimentos e XP Investimentos.

Reforma tributária e juros trazem incertezas

O Índice de Fundos Imobiliários (Ifix) da B3 caiu pelo segundo mês consecutivo e terminou junho em 2.754 pontos, com desvalorização de 2,2%. No mesmo intervalo, o principal índice de ações da Bolsa (Ibovespa) apresentou leve alta de 0,46%.

Segundo especialistas, o principal motivo para o desempenho negativo do Ifix foi a proposta —apresentada pelo governo no dia 25 de junho— de que os dividendos mensais dos fundos imobiliários passem a ser tributados em 15% a partir de 2022. Atualmente, esses rendimentos são isentos para a pessoa física nos fundos negociados em Bolsa com mais de 50 cotistas, caso o investidor não tenha mais de 10% das cotas do produto.

Outro fator determinante que ajudou a aumentar a volatilidade desses fundos é o cenário de inflação elevada e a sinalização do governo quanto a uma possível aceleração no ritmo de alta da taxa básica de juros (Selic). Em junho, a Selic passou de 3,5% para 4,25% ao ano, e a equipe de economistas do banco BTG Pactual, por exemplo, acredita que o ajuste atingirá o patamar 7,5% ao fim deste ano.

Em meio ao ambiente de incertezas, diversas instituições recomendam prudência aos investidores. "Nossa sugestão para os cotistas de fundos imobiliários nesse momento é de parcimônia nas montagens e desmontagens de posição [compra e venda desses produtos]", diz o relatório do BTG, que reforça a importância de buscar oportunidades respaldadas por bons fundamentos.

O banco lembra que o projeto de tributação dos rendimentos pagos por esses fundos ainda precisa ser debatido no Congresso e pode passar por mudanças importantes.

Nessa linha, a Mirae Asset Corretora é uma das que aposta em mudanças na taxa de cobrança proposta inicialmente e recomenda aos cotistas "aguardar e não tomar decisões precipitadas".

Apesar da mudança de cenário, a instituição diz não estar pessimista com os fundos imobiliários, pois acredita que a retomada econômica já vinha ocorrendo e deverá evoluir, principalmente neste segundo semestre, com o impacto do aumento da vacinação contra a covid-19.

Em sua análise para os próximos meses, a Santander Corretora lembra que, ao longo do processo de discussão do imposto sobre os rendimentos mensais dos fundos, pode haver novos momentos de volatilidade.

"Independentemente do que sairá da discussão da reforma tributária sob o aspecto dos fundos imobiliários, recomendamos aos investidores que avaliem os objetivos que os fizeram alocar parcela do recurso em FIIs, se houve mudança no seu horizonte de investimento nos FIIs com a proposta de reforma etc."

Bresco Logística lidera com 6 indicações

Em um mês de poucas mudanças nas carteiras recomendadas, o Bresco Logística assumiu o topo do pódio de forma isolada, com seis indicações em julho. No total, foram pesquisadas dez instituições, e seis delas optaram por manter a seleção de fundos imobiliários feita em junho.

O Bresco se manteve em cinco portfólios e estreou na lista elaborada pelo BTG Pactual para este mês.

"Nossa sugestão de compra para o Bresco Logística (BRCO11) está pautada na queda acentuada de 7,8% que o fundo apresentou no mês passado —registrando uma das maiores baixas dentro do Ifix", diz o relatório do BTG. De acordo com o banco, o produto vem negociando com um deságio de 8% sobre o valor patrimonial, abaixo da média histórica, o que representa uma oportunidade de investimento.

"Acreditamos que o Bresco Logística é um dos fundos que mais tem tirado proveito na melhoria dos seus imóveis atuais, com a finalidade de aumento de aluguel e, consequentemente, maior distribuição de rendimentos para seus cotistas", afirma o BTG.

A instituição destaca que a carteira imobiliária do Bresco possui 11 galpões logísticos classificados como altíssimo padrão, localizados majoritariamente no estado de São Paulo, e com potencial de expansão de 6% da área bruta locável (ABL), que hoje é de aproximadamente 435 mil metros quadrados.

TRX Real Estate e CSHG Renda Urbana completam a lista

Os fundos híbridos TRX Real Estate (TRXF11) e CSHG Renda Urbana (HGRU11) também se mantiveram, neste mês, entre os mais indicados por bancos e corretoras. Ambos repetiram as marcas conquistadas em junho e receberam cinco e quatro recomendações, respectivamente.

Em relatório, a Guide Investimentos afirma que, assim como galpões logísticos, o varejo alimentício tem sido um dos setores que menos sofreu desde o início da crise. O TRX Real Estate reúne ativos imobiliários urbanos de uso comercial vinculados a esses dois setores.

"Nesse sentido, acreditamos na sinergia defensiva que o portfólio do fundo apresenta entre os dois segmentos, mas também promovendo um potencial atrativo de ganho de capital devido às recentes conclusões de aquisições e retomada de dividendos a patamares acima da média do Ifix", diz a corretora.

No caso do CSHG Renda Urbana, a XP observa que o produto investe em negócios ligados ao varejo e ao ramo educacional. "Em nossa opinião, o fundo possui um portfólio com ativos resilientes como o segmento de supermercados, alta concentração em contratos atípicos (92,7% da receita contratada), vencimentos concentrados somente após 2025 e inquilinos com boa qualidade de crédito (Lojas BIG, Pernambucanas, YDUQS)."

Os contratos chamados de "atípicos" são acordados entre as partes com termos e cláusulas diferenciadas dos instrumentos de locação comuns. Tais acordos costumam ter prazo mais dilatado e, em geral, trazem segurança maior em relação ao risco de vacância e previsibilidade de receita de aluguel.

A XP estima um retorno com dividendos de aproximadamente 6,4% para os cotistas do CSHG Renda Urbana neste ano, patamar que considera "atrativo" levando em conta o risco-retorno do produto.

Alterações e portfólios completos indicados

Ativa Investimentos

  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Logística (BTLG11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11), Guardian Logística (GALG11), JS Real Estate Multigestão (JSRE11), REAG Multi Ativos Imobiliários (RMAI11), Rio Bravo Renda Educacional (RBED11), TG Ativo Real (TGAR11), TRX Real Estate (TRXF11) e Versalhes Recebíveis Imobiliários (VSLH11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

BB Investimentos

  • Incluiu: Vinci Offices (VINO11).
  • Retirou: XP Selection (XPSF11).
  • Carteira recomendada: Banestes Recebíveis Imobiliários (BCRI11), Bresco Logística (BRCO11), Malls Brasil Plural (MALL11), Mérito Desenvolvimento Imobiliário I (MFII11), REC Recebíveis Imobiliários (RECR11), TRX Real Estate (TRXF11), Vinci Offices (VINO11) e XP Log (XPLG11).

BTG Pactual

  • Incluiu: Bresco Logística (BRCO11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Corporate Office (BRCR11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Real Estate (HGRE11), HSI Logística (HSLG11), Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), RBR Properties (RBRP11), RBR Rendimento High Grade (RBRR11), Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), Santander Renda de Alugueis (SARE11), Vinci Logística (VILG11) e XP Log (XPLG11).

Obs: Acrescentou um fundo ao portfólio deste mês e manteve os demais.

Genial Investimentos

  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), HSI Malls (HSML11), Malls Brasil Plural (MALL11), Mogno Fundo de Fundos (MGFF11), Pátria Logística (PATL11), Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11), RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11), VBI Prime Properties (PVBI11) e Vinci Offices (VINO11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

Guide Investimentos

  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Logística (BTLG11), Capitânia Securities II (CPTS11), Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11), Ourinvest Fundo de Fundos (OUFF11), RBR Crédito Estruturado (RBRY11), TRX Real Estate (TRXF11), VBI CRI (CVBI11), Vinci Shopping Centers (VISC11) e XP Malls (XPML11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

Mirae Asset Corretora

  • Incluiu: Vinci Shopping Centers (VISC11).
  • Retirou: BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11).
  • Carteira recomendada: BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), CHSG Logística (HGLG11), TRX Real Estate (TRXF11), Vinci Shopping Centers (VISC11) e XP Malls (XPML11).

Necton Investimentos

  • Incluiu: Hedge Brasil Shopping (HGBS11) e Valora RE III (VGIR11).
  • Retirou: RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11) e Vinci Logística (VILG11).
  • Carteira recomendada: BTG Pactual Corporate Office (BRCR11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Prime Offices (HGPO11), Hedge Brasil Shopping (HGBS11), Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11), Valora CRI Índice de Preço (VGIP11), Valora RE III (VGIR11) e VBI Prime Properties (PVBI11).

Santander Corretora

  • Carteira recomendada: Brasil Plural Absoluto (BPFF11), CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11), Maxi Renda (MXRF11), RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11), Santander Renda de Alugueis (SARE11), TG Ativo Real (TGAR11), TRX Real Estate (TRXF11), VBI CRI (CVBI11), Vinci Logística (VILG11) e Vinci Offices (VINO11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

Terra Investimentos

  • Carteira recomendada: BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), CHSG Logística (HGLG11), CSHG Real Estate (HGRE11), Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11) e TG Ativo Real (TGAR11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

XP Investimentos

  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Logística (BTLG11), Capitânia Securities II (CPTS11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), RBR Rendimento High Grade (RBRR11), VBI Prime Properties (PVBI11), Vinci Logística (VILG11) e XP Crédito Imobiliário (XPCI11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

O preço e o desempenho dos fundos imobiliários podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia, na seção Bolsa de Valores.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.