PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

2 perguntas que vão definir se a Bolsa é para você, segundo especialistas

Exclusivo para assinantes UOL

Mitchel Diniz

Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/07/2021 04h00

Todo mundo que abre uma conta em uma corretora responde a um questionário que vai ajudar a definir o perfil de investidor e a identificar os riscos que ele está disposto a correr. Mas existem perguntas que você mesmo pode se fazer para descobrir com quais investimentos se identifica, e entender se a Bolsa é realmente para você.

"O teste do travesseiro é infalível. Se você não consegue dormir tranquilo, pensando no investimento que fez, é porque você está muito exposto", disse Júlia Mendonça, influenciadora e planejadora financeira, durante o encontro Guia do Investidor UOL, série de eventos gratuitos e quinzenais do UOL sobre investimentos. Confira abaixo quais perguntas são essenciais para você entender se deve ou não investir na Bolsa.

1. Você aceita perder dinheiro?

À primeira vista, pode ser motivo de espanto, mas perguntar se alguém aceita perder dinheiro pode ser o melhor jeito de fazer o investidor iniciante a refletir sobre riscos.

"Responder a essa pergunta faz com que a pessoa realmente entenda o que está dentro do aceitável, principalmente em relação à renda variável", afirmou Bea Aguillar, influenciadora e analista de renda variável, que também falou durante o evento.

Para Júlia Mendonça, olhar de hora em hora o aplicativo da corretora para ter certeza de que não está perdendo dinheiro é sinal de que algo está errado. Nem sempre apetite por risco significa preparo para investir em ações.

"Você pode até ser um investidor mais arrojado, querendo risco. Mas tem um milhão de coisas que você pode investir, além de ações", disse a influenciadora.

2. Que dinheiro é esse que você vai investir?

É importante lembrar que existem diferentes tipos de dinheiro para cada coisa. Tem a reserva emergencial, que são as economias para lidar com situações inesperadas e precisam ser resgatadas com facilidade. E tem o dinheiro para investir, mas que também precisa ter um objetivo.

Em seu canal no Youtube, o "Papo de Bolsa", Bea Aguillar recebeu uma pergunta curiosa: um seguidor queria saber se dava para investir na Bolsa o dinheiro do casamento que já estava com data marcada.

"Se as ações que ele comprou caíssem, não ia ter casamento. É realmente importante saber separar as coisas", disse Bea.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.