PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Veja as 7 ações mais recomendadas pelas corretoras nesta semana

Conteúdo exclusivo para assinantes

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/08/2021 04h00

A mineradora Vale (VALE3) permanece na liderança entre as ações mais recomendadas por analistas. Nesta semana, a companhia se mantém com três indicações de investimento, entre sete carteiras divulgadas por corretoras.

O levantamento, realizado pelo UOL, identificou ainda outras seis empresas em destaque no período. Tais companhias atuam em diferentes setores e ficaram empatadas com dois apontamentos por parte de especialistas. Confira abaixo as principais escolhas da semana (de 16 a 20/8)*:

  • Vale (VALE3): 3 recomendações
  • B3 (B3SA3): 2 recomendações
  • Banco Inter Unit (BIDI11): 2 recomendações
  • Gerdau PN (GGBR4): 2 recomendações
  • Magazine Luiza (MGLU3): 2 recomendações
  • Petrobras PN (PETR4): 2 recomendações
  • SulAmérica Unit (SULA11): 2 recomendações

*Levantamento feito com base nas carteiras recomendadas pelas seguintes instituições: Ativa Investimentos, Elite Investimentos, Guide Investimentos, Mirae Asset Corretora, MyCap Investimentos, Terra Investimentos e XP Investimentos.

Vale sustenta 1º lugar mesmo com recuo do minério

Após um forte resultado no segundo trimestre, divulgado no fim de julho, a Vale segue na dianteira entre as empresas preferidas por analistas. Pela terceira semana consecutiva, as ações da mineradora registram três indicações nos portfólios elaborados por sete instituições.

Os papéis da companhia foram mantidos nas carteiras recomendadas pela Elite Investimentos, Guide e Mirae Asset Corretora.

A Vale tem se sustentado na liderança mesmo diante de um arrefecimento nas cotações do minério de ferro em agosto. No último dia 13, os contratos futuros da commodity negociados na China engataram duas semanas consecutivas de perdas —por conta da fraca demanda pela matéria-prima, derivada dos controles de produção de aço impostos pelo governo daquele país.

Uma das razões do otimismo por parte dos especialistas é o impacto positivo da retomada global da economia sobre a mineração no Brasil, como retrata uma reportagem do jornal britânico "Financial Times".

Seis companhias completam os destaques da semana

Mantendo a tendência de equilíbrio vista recentemente, seis empresas receberam duas recomendações de investimento nas carteiras divulgadas nesta semana.

Outra característica importante das indicações é a diversificação, uma vez que todas as ações escolhidas são de setores distintos.

O grupo de companhias com dois apontamentos é composto pela Bolsa de Valores B3; Banco Inter; siderúrgica Gerdau; Magazine Luiza; Petrobras; e seguradora SulAmérica.

Carteiras semanais têm 13 alterações

As instituições monitoradas pelo UOL realizaram um total de 13 mudanças nas carteiras recomendadas de ações para esta semana, frente ao período imediatamente anterior.

As corretoras que mais alteraram seus portfólios foram a Ativa Investimentos, a Guide e a XP, ambas com três substituições. A MyCap vem logo a seguir, com duas alterações.

Elite Investimentos e Mirae Asset Corretora escolheram, cada uma, apenas um novo papel nesta semana.

A Terra Investimentos optou novamente por manter os ativos selecionados na semana passada.

Alterações e portfólios completos indicados

Ativa Investimentos

Elite Investimentos

  • Incluiu: Allied Tecnologia (ALLD3).
  • Retirou: Intelbras (INTB3).
  • Carteira recomendada: Allied Tecnologia (ALLD3), Alpargatas PN (ALPA4), M. Dias Branco (MDIA3), Metalúrgica Gerdau PN (GOAU4) e Vale (VALE3).

Guide Investimentos

Mirae Asset Corretora

MyCap Investimentos

Terra Investimentos

Carteira recomendada: B3 (B3SA3), Fleury (FLRY3), Klabin Unit (KLBN11), Rumo (RAIL3) e Weg (WEGE3).

Obs: sem alterações em relação à semana passada.

XP Investimentos

O preço e o desempenho das ações podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE