PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

As 6 ações mais indicadas por analistas para setembro; Vale lidera lista

Conteúdo exclusivo para assinantes

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

02/09/2021 04h00

A Vale se mantém firme na lista de preferência dos analistas, e as ações da empresa, mais uma vez, ocupam o primeiro lugar entre as mais recomendadas para o mês de setembro. Nas carteiras elaboradas por bancos e corretoras para o mês, a mineradora sustenta as seis indicações recebidas no mês passado, de um total de oito instituições pesquisadas pelo UOL.

A relação de destaques do mês traz ainda a Weg na segunda colocação, com cinco apontamentos, e um equilíbrio maior nas demais escolhas dos especialistas. Com isso, outras quatro companhias aparecem empatadas com quatro recomendações de investimento no mês. Veja abaixo a relação completa.

Vale (VALE3): 6 recomendações
Weg (WEGE3): 5 recomendações
Itaú Unibanco PN (ITUB4): 4 recomendações
Magazine Luiza (MGLU3): 4 recomendações
Petrobras PN (PETR4): 4 recomendações
Rede D'Or (RDOR3): 4 recomendações

*Levantamento feito com base nas carteiras recomendadas pelas seguintes instituições: Ágora Investimentos, BB Investimentos, BTG Pactual, Genial Investimentos, Guide Investimentos, Mirae Asset Corretora, MyCap Investimentos e XP Investimentos.

XP reduz projeção para Bolsa diante de risco fiscal e juros maiores

A XP Investimentos promoveu um corte de quase 7% em sua projeção para o principal índice da B3 (Ibovespa), de 145 mil para 135 mil pontos ao final de 2021, segundo relatório divulgado nesta semana.

Após uma queda de 3,9% em julho, o indicador recuou 2,5% em agosto, terminando o período em 118.781 pontos e zerando a alta de 2,3% que estava acumulada nos sete primeiros meses do ano. Os dados são da plataforma de informações financeiras Economatica.

Em sua análise mensal, a XP Investimentos destaca que o mercado brasileiro foi pressionado por questões domésticas e acabou andando na contramão do mundo, mais uma vez. "Os riscos fiscais aumentaram e as tensões políticas se intensificaram durante o mês de agosto, em meio ao calendário eleitoral que se aproxima rapidamente", diz o relatório da corretora.

A instituição lembra ainda que, no mês passado, houve uma forte elevação no custo de capital das empresas, uma vez que as taxas de juros de longo prazo dispararam no país.

No BTG Pactual, o relatório de setembro afirma que, embora a economia esteja se recuperando bem, a discussão mais recente do governo sobre um programa social ampliado e o espaço fiscal menor do que o esperado são questões que preocupam os investidores.

Para o banco, juros de longo prazo mais altos podem ter um impacto negativo sobre os investimentos, o que, combinado com o aumento das taxas de curto prazo (para combater a inflação), pode prejudicar o crescimento econômico daqui para frente.

Em contraponto ao ambiente adverso, a XP pondera que o histórico das empresas no Brasil segue robusto e lembra que as estimativas de lucro por ação das companhias para os próximos anos foram elevadas em 50% desde o início de 2021.

Solidez operacional sustenta otimismo com a Vale

As ações da Vale recuaram 9,3% em agosto, mas os fundamentos da empresa seguem positivos, o que fez os analistas reiterarem a aposta para este mês. A mineradora se mantém na liderança das recomendações com seis indicações de investimento, entre oito instituições monitoradas pelo UOL.

De acordo com a XP, os papéis da Vale recuaram recentemente diante das incertezas no mercado de minério de ferro, em razão do aumento da tarifa de exportação de aço na China e de preocupações com os impactos econômicos da variante delta da covid-19.

No fim do mês passado, lembra a corretora, o minério era negociado a US$ 156 por tonelada, com queda de 14% em relação a julho, conforme dados do Fastmarkets MB.

Mesmo diante das turbulências, a XP segue otimista em relação à Vale, por conta do anúncio de dividendos extraordinários e da forte geração de caixa da empresa. A corretora espera, no entanto, "alguma volatilidade de curto prazo devido aos preços da commodity [minério de ferro]".

No BTG, a avaliação da mineradora também se mantém positiva. "Apesar da volatilidade recente nos mercados de minério de ferro, continuamos a ver a Vale como uma das melhores empresas sob nossa cobertura."

O banco afirma que, com rendimento de fluxo de caixa livre próximo a 20% e o endividamento altamente contido, é possível esperar retornos de caixa robustos da Vale nos próximos trimestres — o que inclui dividendos e um programa de recompra de ações.

Weg atrai por diversificação e exportações

A Weg, fabricante de motores elétricos, transformadores, geradores e tintas, figura em segundo lugar na preferência dos especialistas para setembro.

As ações da companhia estrearam em duas carteiras recomendadas neste mês —da MyCap e da XP— e foram mantidas por outras três casas de análise, totalizando cinco apontamentos.

Em relatório, a XP afirma que a empresa está bem posicionada para seguir entregando fortes resultados operacionais, com a retomada de investimentos globais e um portfólio bastante diversificado, permitindo um sólido crescimento de receita no curto prazo.

"Além disso, dada a exposição da companhia a diversos mercados, acreditamos que riscos políticos num âmbito doméstico podem ser compensados por uma maior relevância de mercados externos", diz a instituição, lembrando que a receita internacional da Weg equivale a aproximadamente 55% do total.

Outras 4 empresas completam os destaques do mês

Após três meses consecutivos em que apenas três empresas lideraram as indicações de investimentos, setembro trouxe um leque maior de opções para o investidor.

Nas carteiras deste mês, quatro companhias estão empatadas entre os destaques — todas com quatro menções nas análises das corretoras.

A lista engloba as ações preferenciais (PNs) do Itaú Unibanco e da Petrobras, além das ordinárias (ONs) do Magazine Luiza e da Rede D'Or São Luiz, empresa que possui a maior rede integrada de cuidados em saúde do país.

Carteiras recomendadas têm 24 mudanças

As instituições acompanhadas pelo UOL realizaram um total de 24 mudanças nas carteiras de ações recomendadas para setembro, frente ao mês passado. O acompanhamento abrange oito corretoras.

A Genial Investimentos e a MyCap foram as que mais alteraram seus portfólios, cada uma com cinco substituições. BB Investimentos e BTG Pactual aparecem logo a seguir, com quatro novos papéis selecionados para o mês.

A Guide Investimentos escolheu três novas companhias, ao passo que Ágora, Mirae Asset Corretora e XP Investimentos promoveram apenas uma mudança.

Alterações e portfólios completos indicados

Ágora Investimentos

BB Investimentos

BTG Pactual

Genial Investimentos

Guide Investimentos

Mirae Asset Corretora

MyCap Investimentos

XP Investimentos

O preço e o desempenho das ações podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE