PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Bradesco é destaque entre ações recomendadas para esta semana

Conteúdo exclusivo para assinantes

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/10/2021 04h00

As ações preferenciais (PNs) do Bradesco receberam duas indicações de investimento nesta semana e integram a lista de destaques no acompanhamento realizado pelo UOL —com base nas divulgações feitas por sete corretoras.

O banco está entre as novidades selecionadas pela MyCap e se manteve na carteira recomendada pela Terra Investimentos para o período. Ambas as análises foram elaboradas com base na análise gráfica dos papéis.

Ações do banco podem se valorizar

Em breve relatório semanal, a MyCap diz que as ações PN do Bradesco fecharam na última sexta (15) "com forte pressão de compra", sugerindo uma retomada de alta e podendo buscar patamares entre R$ 22 e R$ 22,50. Na terça (19), os ativos encerraram o pregão cotados a R$ 20,98.

Há cerca de duas semanas, o Bradesco anunciou a compra de 50% do banco digital Digio e se tornou, indiretamente, detentor da totalidade do capital social da instituição financeira. A operação movimentou R$ 625 milhões e foi realizada por meio da Bradescard Elo Participações, que arrematou a fatia detida pela BB Elo Cartões Participações, empresa do Banco do Brasil (BB).

Segundo análise da Levante Ideias de Investimento, a transação está alinhada com a estratégia e é positiva para o Bradesco. Em entrevista sobre o assunto, executivos disseram que um dos objetivos é fazer o Digio expandir sua base de clientes rapidamente, já em 2022.

O Bradesco agendou para 4 de novembro, após o fechamento do mercado, a divulgação de seu balanço financeiro relativo ao terceiro trimestre deste ano.

Confira outros destaques e as carteiras completas recomendadas para esta semana. Os códigos e preços das ações podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE