PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

Após disparar quase 10%, Magazine Luiza volta a cair; o que aconteceu?

Ações do Magalu (Magazine Luiza) estão em queda nesta sexta-feira após decolarem no dia anterior - Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress
Ações do Magalu (Magazine Luiza) estão em queda nesta sexta-feira após decolarem no dia anterior Imagem: Aloisio Mauricio /Fotoarena/Folhapress
Conteúdo exclusivo para assinantes

Lílian Cunha

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/05/2022 15h08

Depois de fechar o pregão de ontem (26) alcançando alta de quase 10%, as ações do Magazine Luiza (MGLU3) estão em baixa de 2,46% às 14h35 (horário de Brasília) nesta sexta-feira. Assim, os papéis estão sendo negociados a R$ 3,97 cada.

Mas, afinal, por que um dia MGLU3 disparou na Bolsa de Valores e no dia seguinte está despencando? Confira abaixo a explicação dos especialistas ouvidos pelo UOL e se vale a pena investir em Magalu.

A disparada de ontem

Na última quinta-feira algumas notícias fizeram o papel da varejista subir. Depois de uma queda de 21% no mês de maio, alguns investidores estrangeiros compraram o ativo — especificamente o JP Morgan e o UBS, segundo analistas de mercado.

Além de aproveitar o preço baixo da ação, o movimento de compra foi na onda de empresas de varejo americanas. A rede de lojas de departamentos Macy's e outras do setor nos EUA divulgaram documentos em que elevaram sua previsão de lucro. Isso graças à melhora nas vendas de produtos de alta qualidade, voltados para um público de maior poder aquisitivo e menos afetado pela inflação.

Os investidores também ficaram com esperança de que a inflação diminuísse nos próximos meses depois da Câmara dos Deputados aprovar o teto de 17% para o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para energia elétrica, combustíveis e gás natural.

Segundo Julio Hegedus Netto, economista-chefe da Mirae Asset, a medida pode diminuir em torno de 1,20 ponto porcentual no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano.

Com os preços subindo menos, ou num ritmo mais fraco, os consumidores voltam às compras, o que tende a melhorar o lucro das empresas de varejo — inclusive o Magalu.

O recuo de hoje

Não é que todas essas teses tenham derretido em 24 horas. O que acontece, de acordo com Pedro Galdi, analista da Mirae, é apenas um movimento de mercado: quem comprou e se beneficiou da alta de ontem das ações, hoje vende para embolsar o lucro.

"Estamos verificando alguns movimentos de 'caça a pechinchas'. E, depois de recuperadas, elas valorizam bastante e são vendidas. É um sinal de mercado ainda fraco, com os investidores de olho em posições de alta liquidez", diz o especialista, referindo-se aos ativos que são vendidos facilmente.

Vale a pena comprar ações do Magazine Luiza?

O Safra diz que sim. O banco acredita na valorização da ação MGLU3 e tem recomendação de compra, com preço-alvo de R$ 7,30.

Mas alerta: "a curto prazo, no entanto, o ambiente continua desafiador para a empresa e para o setor em geral devido à forte dinâmica macro que impõe restrições aos consumidores".

O BTG também recomenda compra, assim como a Mirae.

A XP Investimentos mantém uma posição mais cautelosa e fica com recomendação neutra. Isto é, quem tem ações da Magazine Luiza não deve vendê-las e nem comprar mais; e quem não tem, deve aguardar para comprar.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.