PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Como sair das dívidas, começar a investir e chegar a R$ 1 milhão?

Está endividado e não sobra dinheiro para investir? Veja como sair das dívidas e começar a aplicar a sua grana - Getty Images/iStockphoto/Uelder-ferreira
Está endividado e não sobra dinheiro para investir? Veja como sair das dívidas e começar a aplicar a sua grana Imagem: Getty Images/iStockphoto/Uelder-ferreira
só para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/08/2022 04h00

Se você é daqueles que não investe porque está endividado, veja como sair das dívidas e começar a aplicar o seu dinheiro para chegar ao seu primeiro R$ 1 milhão. No Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL, a planejadora financeira Vivian Rodrigues diz que, mesmo endividado, vale montar sua reserva financeira, e que é preciso inverter a ordem dos pagamentos para sobrar dinheiro do salário. Ela ainda ensina um exercício para te ajudar a começar a investir.

Leia abaixo a análise da planejadora financeira e assista ao programa completo do dia 14 de julho, que é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e transmitido semanalmente, às quintas-feiras, das 16h às 17h.

Pago primeiro a dívida ou começo a investir? Vivian diz que, dependendo do montante da dívida, não é uma boa estratégia começar a investir agora, com exceção de montar a sua reserva financeira. "Em geral, a maior parte das dívidas tem uma taxa de juros maior do que a rentabilidade que você vai conseguir nos seus investimentos", declara.

Segundo ela, se a dívida e a taxa de juros são altas, não vale a pena investir no lugar de tentar resolver aquela dívida que está cara demais e consome uma parte grande do seu orçamento.

"Quase sempre é melhor desenhar uma estratégia para poder pagar essas dívidas e os parcelamentos, antecipar algumas parcelas futuras, para conseguir zerar isso o mais rápido possível, e depois começar a investir ou aumentar o ritmo dos seus investimentos", afirma.

Existe exceção para investir? Vivian diz que, para quem está com dívidas, o que vale é fazer os investimentos iniciais para a reserva financeira. "Mesmo que você tenha dívidas, mantenha uma reserva para possíveis emergências", afirma.

Se não existe essa reserva, em momentos de emergência as pessoas podem precisar buscar crédito em lugares caros, como parcelamento de cartão ou cheque especial, aumentando ainda mais a sua situação de endividamento.

A planejadora financeira afirma que, à medida que as dívidas forem sendo pagas, vale transferir o valor daquelas parcelas para os investimentos.

Como fazer para sobrar dinheiro no final do mês? Para Vivian, a chance de sobrar dinheiro no final do mês é muito pequena. Isso porque os gastos vão chegando a todo momento e, se existe dinheiro na conta, as pessoas tendem a gastar.

"O que você precisa fazer é inverter isso. É transformar o seu investimento como se fosse um boleto para pagar e, de preferência, com vencimento no dia em que cai o seu salário", declara.

A estratégia, diz ela, é trazer para o início do mês o compromisso com os seus investimentos. A partir de então, você deve ajustar o seu padrão de vida com o restante do dinheiro, o que sobrar depois de investir.

Segundo ela, você precisa definir qual percentual vai para os seus investimentos e qual percentual vai para as suas despesas fixas. "Todo o restante precisa se encaixar nas despesas variáveis. O programa caro com os amigos no final de semana cabe dentro dessas variáveis? Cabe, então, OK. Se não cabe, então não vale ir, porque você estará deixando de pagar alguma coisa", diz ela.

Faça esse exercício para começar a investir: A planejadora financeira mostra um exercício de simulação para você fazer para conseguir investir.

"Pense assim: 'E se eu ganhasse R$ 300 a menos? Ou 10% a menos?' Pense nesse valor. Como você viveria? Cada um pode fazer um movimento diferente. Uns vão buscar uma forma de aumentar essa renda de novo; outros vão reduzir alguns gastos; outras pessoas vão dividir as despesas novamente. Esse exercício talvez leve o seu pensamento para alguns pontos aos quais você não está se atentando hoje", diz.

Segundo ela, esse valor de "redução de salário" poderia ser direcionado para os seus investimentos, tanto para sair das dívidas quanto para poder começar a investir e chegar a esse primeiro R$ 1 milhão.

Como chegar a R$ 1 milhão investido? Vivian também simula quanto é preciso investir por mês para chegar no primeiro R$ 1 milhão. Veja a partir dos 34 minutos do vídeo. Ela também dá uma dica para não desistir do plano de alcançar esse valor. Quanto maior o prazo, menor o valor que é necessário investir por mês.

O mais importante é começar a investir e manter esse hábito. "Se você já tem o hábito de investir R$ 150, quando você receber um aumento pode aumentar esse valor. Pense na criação de hábito", diz.

Mais importante que buscar ter R$ 1 milhão é manter esse poder de compra. Ou seja, investir protegendo seu dinheiro da inflação.

Papo com Especialista é semanal

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, semanalmente, das 16h às 17h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e no UOL Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo email uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Rafael Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envie sua pergunta para uoleconomiafinancas@uol.com.br.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.